Em seu programa eleitoral exibido no início da noite desta sexta-feira (22), na televisão, o candidato ao governo do Estado pela coligação Coragem e Atitude Pra Mudar, Pedro Taques (PDT), apresentou os compromissos que assumiu com a população para a área da saúde. Entre eles, está a construção de um hospital público estadual  na capital com capacidade para 350 leitos, além de apoiar a prefeitura de Cuiabá na construção do novo Pronto Socorro.

O candidato também afirmou que não irá permitir atrasos dos recursos da saúde para os municípios, que são os mais penalizados. Outro compromisso assumido para o interior é garantir o funcionamento eficiente dos hospitais regionais, por meio de parcerias com as prefeituras para estimular e fortalecer os consórcios intermunicipais de saúde. “Seremos rigorosos no combate à corrupção e eliminaremos os desvios dos recursos da saúde”, completou.

Leia também:  Botelho preocupado com "depressão" de deputados

O programa apresentado nesta sexta teve como abertura depoimentos de cidadãos mato-grossenses e pessoas públicas, como o candidato à presidência da República, Aécio Neves (PSDB) e senadores. Eles falaram sobre as qualidades de Taques que o credenciam para assumir o posto de governador, como coragem, honestidade e pulso firme.

Deram depoimentos os senadores Álvaro Dias (PSDB-PR), Ana Amélia (PP-RS) e Cristóvam Buarque (PDT-DF), o estudante Augusto Cézar, o mecânico Belchior da Silva e a cozinheira Dona Irene, que afirmou que Taques vai por “ordem” no Governo. “Agora estão com medo porque vai ser a hora que vai aparecer toda a sujeira no ventilador. Precisa mudar, vai mudar, tem que mudar. Com ele”, disse.

Ao cidadão mato-grossense, o candidato explicou que o maior desafio gestão será fazer funcionar a saúde pública em Mato Grosso. “É um setor abandonado, o caos instalado. Cuiabá e Várzea Grande não recebem recursos dos governos Federal e Estadual. O interior também está abandonado. Na saúde, só funciona a velha do joga na ambulância e toca pra Cuiabá. É possível sim mudar essa realidade. Aliás, essa realidade vai mudar porque ninguém aguenta mais viver assim”.

Leia também:  Ex-presidente da Petrobras é denunciado por corrupção em operação da Lava Jato

O médico da saúde pública, Bruno Baranhuk, foi outro a fazer uma fala no programa do pedetista. Ele opinou que quem desvia dinheiro público, mata pessoas. “Não atira, não dá facada, mas ele dá uma canetada e mata”. A declaração foi feita de modo a assegurar que o candidato que não deixará que isso aconteça é Pedro Taques.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.