“Ninguém merece ser discriminado. Nós nascemos para ser felizes do nosso jeito, seja ele qual for, e cada um tem que respeitar o jeito de ser do outro”. É assim, com políticas públicas de inclusão, que o candidato ao governo do Estado pela coligação “Viva Mato Grosso”, José Geraldo Riva (PSD), afirma que pretende governar. Na noite desta segunda-feira (11), durante reunião com cerca de 100 jovens e o movimento das Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT) na casa noturna Hotspot, ele falou da proposta de criação de uma delegacia especializada para atender os LGBT.

“Temos que promover o respeito e o combate à homofobia, esse é o ponto crucial. Eu já havia falado numa outra oportunidade que iria criar uma delegacia específica para atuar em crimes contra os LGBT, e isso está incluso no meu plano de governo. Como nosso governo vai ser de entendimento, de diálogo, esse local irá ter elo direto com Centro de Referência de Direitos Humanos, porque, hoje, essas pessoas, quando são vitimas de algum crime, batem numa delegacia comum e o que acontece? Mais uma discriminação. A gente tem como evitar isso”, disse.

Riva também falou sobre a importância da educação sexual nas escolas, local onde afirma ser para formação dos cidadãos. “Eu julgo a educação sexual nas escolas como imprescindível para evitarmos a homofobia. A gente orientar as nossas crianças é muito importante. Quando a Janete e a Janaína foram madrinhas da Parada da Diversidade, quero dizer para vocês que aquilo era um envolvimento da nossa família como um todo, não só das duas. A gente conversa muito sobre isso em casa e uma das coisas que ensinei para os meus filhos é respeitar as diversidades, e a gente tem que respeitar a diversidade porque isso é respeito ao ser humano, à pessoa, não interessa a opção dela”, finalizou.

O social democrata disse ainda não temer críticas ao declarar seu respeito aos LGBT. “Minha filha Janaína, minha esposa Janete, a nossa família como um todo sempre esteve engajada nas causas LGBT e não tememos perder votos por isso. Quero dizer para vocês que o cara que decide deixar de votar em alguém por causa disso é porque não tem Deus no coração e não tem formação humana. Antes de mais nada, quero fazer um governo humanizado, só quero ser governador se eu puder ser um instrumento para ajudar a transformar este Estado e para fazer um Estado para todos”, finalizou.

Um dos coordenadores da Parada da Diversidade, Murilo Alberto lembrou do engajamento da candidata a deputada estadual Janaína Riva nas causas LGBT e afirmou que ter um governante que também esteja aberto a discutir políticas públicas de saúde, segurança e educação para minimizar os preconceitos sofridos por esse grupo é de extrema importância.

“Estou nessa campanha para que nós, em 2015, levemos ao público LGBT melhorias em todo Mato Grosso saúde, educação e direitos civis. Vamos desconstruir todas as imagens que vocês talvez tenham e construir uma imagem de quem está comprometido com a gente e vai lutar pela gente lá na frente”, disse.

A jovem Luiza Miranda, de 25 anos, ouviu atentamente as propostas de Riva para educação e inserção dos jovens com menos condições financeiras ao ensino superior, além do projeto do primeiro emprego. “O jovem tem a mania de reclamar dos governantes, dizer que está tudo ruim, mas não faz nada para mudar. Temos que ser mais atuantes na política, participar mais, conhecer as propostas de cada candidato. Eu escolhi o Riva porque confio que sua experiência vai fazer de Mato Grosso um estado de mais oportunidades para os jovens”.

Advertisements
Leia também:  Com emenda de Rezende, Unemat aprecia Direito para Rondonópolis

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.