Posicionada à beira da quadra do ginásio Lineu de Moura, a comissão técnica do São José Basquete costuma conversar em roda antes do início dos treinos do time. Entre um assunto mais descontraído e outro, um é constantemente discutido pelo grupo: as recomendações para as atividades que terão início no dia.

A troca de informações já era frequente, mas, nesta pré-temporada, faz-se ainda mais necessária. Como os treinos começaram há apenas uma semana, e a estreia no Campeonato Paulista já acontece daqui oito dias, todo o cuidado é pouco para evitar que problemas físicos apareçam ao longo das competições.

Na última pré-temporada, o São José deu início aos treinos com cerca de um mês de antecedência. A boa preparação ajudou o time, por exemplo, a ter poucas lesões musculares no NBB 6. Quase todas que aconteceram ao longo da competição foram por traumas causados em lances dos jogos.

Leia também:  Cuiabá sediará torneio de luta em pé

Neste ano, por conta da demora para definição do orçamento e, consequentemente, para a montagem do elenco, os treinos começaram mais tarde. O tempo disponível para a pré-temporada ficou curto. Com isso, os torcedores da equipe provavelmente encontraram nos primeiros jogos do estadual um time ainda em processo de evolução.

– O ideal seria ter um mês de preparação. Gostaríamos de ter feito uma prevenção um pouco melhor. De o Adilson (Doretto, preparador físico) ter tido, pelo menos, uns 15 dias anteriormente para fazer base aeróbica. Mas não foi possível. Estamos tomando o máximo de cuidado possível e dosando bastante para não ter lesões. Há um risco um pouco maior (de lesões), mas estamos trabalhando para evitar isso. O Zanon está sendo bastante coerente, dosando bastante os treinos. Ele sabe que é um início conturbado. O que vai acabar acontecendo é que nós vamos evoluindo durante o início do Paulista. Não tem como ser diferente – disse o fisiologista do time, Fabiano Barros.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

Barros é o responsável em realizar os exames fisiológicos nos atletas. Desde a semana passada, já os tem feito. Por meio desses testes, sabe a condição física de cada jogador e como cada corpo se recupera e corresponde às atividades. Os dados coletados auxiliam no trabalho dos demais integrantes da comissão técnica, como do preparador físico, Adilson Doretto.

Nos treinos do período da manhã, Doretto é quem tem comandado as atividades. Trabalhos de resistência e força são realizados na academia e, depois, treinos aeróbicos em quadra. À tarde, Luiz Zanon aplica treinos técnico e táticos para treinar o time para a estreia no Paulista, em 7 de agosto, contra o Internacional de Santos, às 20h, no Lineu de Moura.

Leia também:  União perde em casa e dá adeus ao sonho da Série C

– No começo do Paulista, vamos estar praticamente no meio desse período básico. Com certeza, o time não vai estar com aquela velocidade, com aquele arranque, mas, durante o campeonato, acredito que vamos estar chegando. Pretendemos estar com uma boa condição física e técnica, mais ou menos, na metade de setembro ou começo de outubro. Queremos chegar com a equipe em uma condição excelente em meados de outubro – afirmou Adilson Doretto.

Apesar de ainda não ter se apresentado ao clube, o armador Manny Quezada tem feito um trabalho de preparação física nos Estados Unidos sob as orientações do preparador físico joseense. A reapresentação do atleta está prevista para acontecer em 15 de agosto.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.