Um grupo de 23 reeducandos do sistema prisional de Mato Grosso será beneficiado pelo Termo de Intermediação para Aproveitamento de Mão de Obra de Recuperandos do Sistema Penal assinado, na tarde desta segunda-feira (18), entre a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e a Odebrecht Infraestrutura.

O trabalho, mediado pela Fundação Nova Chance, consiste na execução de parte das obras de duplicação e recuperação da BR-163. A vigência do termo é de 12 meses e os recuperandos prestarão os serviços de segunda a sexta das 7h às 17h.

Os reeducandos serão beneficiados com o pagamento de um salário mínimo, sendo que a metade da remuneração será destinada à assistência da família e o restante será depositado na caderneta de poupança do beneficiado. Uniformes, proteção pessoal e assistência imediata em caso de acidente são obrigações da empresa contratada.

Leia também:  Policial baleado em resgate de empresária sequestrada passa por cirurgia

O uso das tornozeleiras garantirá a manutenção da segurança no local dos trabalhos, informou o secretário Luiz Antonio Pôssas de Carvalho aos representantes da Odebretch e à juíza da 4ª Vara Criminal de Rondonópolis, Tatyana Lopes de Araújo Borges.

O secretário ressaltou que o aproveitamento deste tipo de mão de obra tem uma série de vantagens, como o baixo custo e a disponibilidade imediata, além do desejo de todo reeducando de reduzir sua pena.

A juíza Tatyana Lopes de Araújo Borges avaliou que o principal benefício da ação é a recuperação da dignidade. “Estes cidadãos merecem uma chance, e por meio do trabalho eles podem provar que estão aptos a retornar ao convívio social; o trabalho é a principal ferramenta para recuperação, pois na prisão ocorre um fenômeno contrário: muitos deles ficam tanto tempo sem trabalhar, inclusive aqueles que anteriormente trabalhavam, que não encontram função nenhuma no mercado de trabalho e recorrem ao crime”.

Leia também:  Chuva repentina em Cuiabá pega moradores de surpresa

O advogado da Odebretch Infraestrutura, Eduardo Peloso, disse que a “a empresa, nos seus campos de atuação, prima pela responsabilidade para com a sociedade, de modo que o objetivo do programa é propiciar melhores condições de desenvolvimento pessoal para aos reeducandos quando estes terminarem de cumprir suas penas”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.