Nesta quinta feira (21), Primavera do Leste, foi palco de uma nova realidade em segurança pública, uma das maiores reinvidicações da população atualmente. O Gabinete de Gestão Integrada Municipal – GGI-M que reúne todos os órgãos de segurança pública atuante no município se reuniram com a tenente coronel Rosalina Brito, coordenadora de polícia comunitária de Cuiabá para discutirem a implantação desta nova vertente policial no município.

O projeto que já funciona com 13 bases de policia comunitária na capital, está mudando o modo de pensar segurança publica em Mato Grosso, através da Atuação dos policiais integrados a comunidade norteando ações de combate a criminalidade. Durante a reunião, o Presidente da Câmara de Primavera do Leste, Estaniel Pascoal, declarou apoio à implantação, salientando a indicação 014/ 2014, onde solicita Viabilização junto ao Governo do Estado de Mato Grosso, da criação e implantação de Base Comunitária de Segurança ao bairro Primavera III. “Precisamos de soluções pontuais para segurança pública em nosso município, e a proximidade com a sociedade e quebra de tabus que a polícia comunitária emprega, trará inúmeros benefícios a Primavera do Leste, por isso apoio e faremos o possível para que esse projeto seja implantando o quanto antes em nossa cidade.”

Leia também:  Recursos Federais | 80 milhões são anunciados para Rondonópolis

Durante a reunião a tenente coronel Rosalina Brito, ministrou uma palestra explicando os princípios e resultados do trabalho desenvolvido pela Policia comunitária na Capital, ressaltado que vários policiais de Primavera do Leste, já possuem o curso de policia comunitária, o que irá auxiliar no processo de implantação. “Todos somos responsáveis pela segurança pública, por isso a polícia comunitária trás consigo a premissa de aproximar-se da comunidade, mostrando que é possível sim este processo de humanização, através das autoridades, comunidade e mídia, através desta proximidade sempre alcançamos resultados positivos”, destacou

Também participou da reunião a vereadora Carmem Bette, que destacou; “Conforme o artigo 144º da Constituição Federal, a segurança pública é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, com a polícia comunitária iremos detectar o fator relevante que leva a criminalidade, precisamos trabalhar a família assim iremos trabalhar com a base, eu acredito que teremos resultados positivos. Com este trabalho.” – finalizou a vereadora.

Leia também:  Novo complexo para Politec é debatido em audiência pública
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.