Com queda de 0,15%, os alimentos foram os principais responsáveis pela alta acentuada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esta é a terceira queda mensal consecutiva nos preços dos alimentos.

A baixa atingiu grande parte dos principais produtos alimentícios. “A safra agrícola neste ano é grande, estimada em 193 milhões de toneladas [no país]. E não é só no Brasil, o mundo todo está colhendo bons frutos. O clima tem propiciado e a colheita tem sido muito boa”, disse a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.

Apresentaram quedas nos preços em agosto, os produtos como feijão-preto (-3,16%), óleo de soja (-4,94%), tomate (-5,8%), farinha de mandioca (-1,42%), frutas (-1,96%), farinha de trigo (-2,31%), arroz (-1,07%) e pescados (-0,61%).

Leia também:  Alto Araguaia | Exportação cai 11% no mês de julho

Apesar das baixas consecutivas, os alimentos que representam quase um quarto do gasto dos orçamentos das famílias, ainda acumulam inflações de 4,76% no ano e 7,53% no período de 12 meses. Em ambos casos, está acima da média da inflação oficial 4,02% no ano e 6,51% em 12 meses.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.