Uma doença, uma necessidade, ou pelo puro instinto de companheirismo, a motivação não baseada na parceria mudou completamente a vida de uma família inteira. Seu Luis Furtado, de 67 anos, e dona Elizete, de 63, começaram a correr em 2005, o filho, Deiwe, em 2012. Cada um com seu motivo. A corrida, que começou como obrigação rotineira, virou paixão e levou o trio a participar, na manhã deste domingo, da 59ª Corrida Henrique Archer Pinto, tradicional prova do Amazonas.

Em 2003, Luis começou a apresentar problemas cardíacos e foi submetido a uma cirurgia. Após a operação, a necessidade de atividade física veio à tona. “Muito preguiçoso”, segundo a esposa, foi preciso “pegar no pé” para que o amazonense criasse gosto pelas corridas.

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

– Ele era muito preguiçoso e não gostava de praticar exercício. Depois que ele teve o problema de coração, o médico recomendou exercício físico e eu comecei a pegar no pé dele. Eu tinha que tirar ele da cama todo dia para a gente ir correr. Depois, juntos, fomos pegando gosto para a coisa. Começamos a correr e virou hábito – comentou Elizete, que elogiou o percurso de 5km da Archer Pinto.

Casados há 36 anos, o casal, há quase 10 criou a rotina de caminhar todos os dias pela manhã. A quilometragem não é marcada, mas é “uma boa pernada”, brinca o casal bem-humorado. Moradores da Zona Sul de Manaus, do Bairro Praça 14, eles caminham/correm diariamente ao centro da cidade. Além disso, já participaram de outras edições da Archer Pinto e passearam por grandes eventos do Brasil.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

– Ela (Elizete) foi o meu grande incentivo no início de tudo. A minha grande companheira. Depois que começamos a correr, virou vício. A gente corre de cima pra baixo. Participamos recentemente da Meia Maratona do Rio. É uma vida boa, gostosa. Foi uma grande mudança nas nossas vidas. Na família inteira, principlamente no nosso filho, que também nos motivou muito – conta Luis.

Filho adota estilo dos pais e perde 55 kg

Um dos maiores beneficiados do novo estilo de vida adotado pela família foi o filho, Deiwe. Até o início de 2013, ele pesava 135kg. Com 35 anos, inspirado pela vida saudável dos pais, começou a acompanhar a dupla insuperável e vive nova fase. Em um ano, com reeducação alimentar, 55 kg foram eliminados.

Leia também:  União aposta em Ricardo para bater o Cuiabá

– Eu via os meus pais, na idade que têm, com o pique e disposição, e tomei isso como inspiração. Junto com uma reeducação alimentar, mudei meu estilo de vida e, com base na corrida, ao lado deles, consegui mudar totalmente – relembra Deiwe, que fez o percurso de 10 km.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.