Foto: IlustrativaManeire no carboidrato
”Ele é o grande vilão da história”, define a nutricionista Luciana de Carvalho, do departamento de gastroenterologia da Universidade Federal de São Paulo. ”Isso não significa que pães e massas devam ser abolidos do dia a dia”, esclarece a especialista. ”Mas é preciso consumi-los com moderação.”

Cuidado com algumas gorduras
Quem se abarrota de carnes vermelhas, manteiga, frituras e biscoitos industrializados leva para dentro do organismo um batalhão de gorduras saturada e trans. Daí, a silhueta e, claro, o fígado engordam.

Invista nas fibras
A aveia, o farelo de trigo, as massas integrais, as frutas e as verduras são exemplos de fontes dessas substâncias que se revelam grandes aliadas de um fígado em forma.Foto: Ilustrativa

Leia também:  Certas profissões podem aumentar o risco de artrite reumatoide

Aposte nas gorduras do bem
Estamos falando dos ácidos graxos monoinsaturados e dos parceiros polinsaturados. Com o perdão dos palavrões, são essas as gorduras que merecem respeito porque ajudam o fígado emagrecer.

Conte com os antioxidantes
Ícones de qualquer alimentação balanceada, os vegetais são os principais reservatórios das substâncias que enfrentam os radicais livres, moléculas que podem prejudicar o corpo – e o fígado.

Foto: IlustrativaAtenção ao álcool
Eis um assunto que merece bastante cautela. Quando o fígado engorda mas ainda não se tornou refém inflamações – só nesses casos -, pode-se tomar até uma taça de vinho tinto (de 100 a 200 mililitros) por dia.

Perca peso, mas vá devagar
É necessário manter o rigor – aliando a dieta à prática de exercícios físicos – para emagrecer, mas é loucura tentar mandar para o espaço quilos e quilos num curto espaço de tempo.

Leia também:  Diabetes: as novas táticas e tecnologias para o controle adequado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.