A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, afirmou nesta segunda-feira (15) que o Brasil deve se tornar um grande exportador de petróleo cru a partir de 2018, com uma média diária entre 1,5 milhão e 2 milhões de barris diários até 2020.

“Se essa curva de produção se confirmar, vamos ser importantes exportadores de petróleo cru, o que vai representar US$ 50 bilhões a US$ 65 bilhões para a balança comercial brasileira”, disse Magda, durante discurso de abertura do evento Rio Oil & Gas, no Rio de Janeiro.

Ainda segundo a diretora-geral da ANP, o Brasil caminha para dobrar sua produção de óleo entre 2020 e 2022. Atualmente, o país produz 2,2 milhões de barris por dia.

Leia também:  Bloqueio de verbas não consegue mais conter aumento da dívida pública

Calendário

No mesmo evento, o presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), João Carlos de Luca, afirmou que a principal questão para a indústria não é a realização de uma rodada de licitações por ano, mas a adoção de um calendário que permita a previsibilidade para os agentes do setor.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.