Apesar das respostas entre os quatro candidatos serem praticamente as mesmas na negativa de que vale tudo na campanha, o clima no debate realizado nesta segunda-feira (22) pela TV Record foi de acusação e alfinetadas entre eles.

O candidato Gilberto Lopes Filho (PSOL) chegou a falar que está fora da baixaria e que os concorrentes estão discutindo para ver quem é mais desonesto, porém ele mesmo acusou os demais candidatos de compra de votos.

Em um questionamento do candidato Wellington Fagundes (PR), Rogério Salles (PSDB) foi acusado de acumular poder para ter benefícios como salário e aposentadoria e ainda da esposa dele, Marília Salles, ter sido condenada enquanto era primeira dama do Estado. Segundo o atual vice-prefeito de Rondonópolis, sua esposa foi processada por contratar servidores sem concurso público, algo que é comum em todas as esferas de poder.

Leia também:  PTB tem novo presidente estadual

Salles ainda foi questionado por Lopes Filho sobre a aposentadoria especial como ex-governador. Ele disse que o salário de R$ 15 mil é um direito garantido por lei e que não abriria mão do vencimento.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.