À medida que a colheita de milho começou a tomar ritmo em Mato Grosso, os preços disponíveis do cereal passaram a apresentar cotações abaixo do preço mínimo estabelecido pelo governo. As informações são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Com 99,9% da área cultivada com milho na temporada 2013/14 já colhida, e produtividade média de 91,6 sc/ha, estima-se que 17,69 milhões de toneladas do cereal estejam no mercado mato-grossense.

Neste cenário, fizeram-se necessárias as operações de subvenção, através do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro). Oito dias após o primeiro leilão, ocorreu o segundo leilão de 2014, desta vez com volumes e prêmios maiores.

Conforme os economista do instituto, foram negociadas 1,4 milhão de toneladas em Mato Grosso, 98,9% do montante ofertado pelo governo, com 60,4 milhões de reais em prêmios, fazendo com que o prêmio médio ponderado fosse de R$ 2,53/sc. A expectativa é de que à medida que os leilões de Pepro ocorram, a comercialização e o escoamento do produto sejam estimulados no Estado, impedindo grandes volumes em estoques.

Leia também:  Receita libera nesta quinta-feira (08) consulta ao 1º lote de restituição do IR
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.