A declaração da presidente Dilma Rousseff, indicando a saída de Guido Mantega num eventual segundo mandato da petista, foi mal recebida no Ministério da Fazenda e comemorada por setores do empresariado.

A equipe de Mantega avaliou como “muito ruim” a fala da presidente, que pegou o Ministério da Fazenda de surpresa.

Na avaliação de assessores, com a declaração, a presidente acaba enfraquecendo seu ministro durante o exercício do cargo.

Entre empresários, contudo, a notícia foi bem recebida. A Folha conversou com dois líderes empresariais e eles disseram que o setor privado avalia como muito positiva a sinalização feita pela presidente no Ceará.

Para eles, o governo Dilma precisava mostrar que, num eventual segundo mandato, serão feitas correções na política econômica, já que a atual mostrou que “não deu conta do recado” que o setor estava esperando.

Leia também:  Assembleia vai decidir o futuro do prédio da Uramb

A presidente já havia sinalizado, no dia anterior, que faria mudanças caso reeleita.

A primeira fala de Dilma, contudo, foi vista por assessores de Mantega como genérica. Na avaliação deles, não prejudicou o ministro.

Dilma vinha sendo cobrada pelo ex-presidente Lula a sinalizar mudanças em sua política econômica num segundo mandato e também em sua equipe. O petista chegou a sugerir a troca de Guido Mantega, o que Dilma prometeu no ano passado analisar, mas acabou não acatando o conselho do antecessor.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.