Funcionários dos Correios estão parcialmente paralisados em Rondonópolis.  Segundo o representante do Sintect-MT em Rondonópolis, Jonas Oliveira, cerca de 50% dos funcionários aderiram ontem (18) ao movimento de paralisação.

De acordo com nota emitida pela empresa Correios, a paralisação acontece em sete estados no país: Mato Grosso, Sergipe, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Tocantins.

Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres, Sinop e Cuiabá tiveram assembleias para adesão do movimento, a informação é do site do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso (Sintect-MT).

Em Rondonópolis, Jonas ainda disse que as negociações ainda estão sendo feitas com os demais funcionários que não participam da greve.

Leia também:  Saúde fornece repelente para gestantes para prevenir doenças transmitidas por mosquitos
Representante do Sintect-MT em Rondonópolis, Jonas Oliveira – Foto: AGORAMT

“Há a esperança para que aumente o número, as negociações estão acontecendo, o quadro pode mudar a qualquer momento”, disse o representante.

Os serviços de atendimento permanecem funcionando normalmente nas agências.

Reivindicações

Em Rondonópolis, os funcionários que participam da greve reivindicam um aumento salarial de R$ 300 para a categoria, um aumento real de 8%. Enquanto a empresa dos Correios oferece R$ 200 em forma de gratificação e incentivo de produtividade.

Reajuste de 6,5% da inflação.

Reposição das perdas salariais de 11,90% desde o ano 1994.

Aumento no valor da cesta básica para R$ 400, atualmente o valor é de R$ 158, 90.

Além das reivindicações salariais, os funcionários pedem melhorias nas condições de trabalho, a revogação da Lei 12490/11 que permite que a estatal crie empresas subsidiárias, bem como são contrárias a privatização e terceirização da empresa. Os funcionários ainda exigem que o plano de saúde volte a ser gerido pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Leia também:  'Mutirão de Negociação Fiscal' é realizado em Rondonópolis

Acordo X Greve

De acordo com o representante, Jonas Oliveira, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) está intermediando as negociações.

Uma assembleia deve ocorrer na próxima terça-feira (23) com todo os representantes do estado para decidir se vão continuar com a greve ou aderir as propostas da empresa. Já que 18 sindicatos no estado aderiram a proposta inicial.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.