A última pesquisa Ibope divulgada ontem (04) não reflete a realidade do eleitorado de Mato Grosso. Esta é a avaliação do candidato José Riva (PSD), ao governo do Estado, diante do total de pessoas interrogadas na sondagem – 812 – em 39 municípios do Estado. “Esta pesquisa não representa a verdade que está nas ruas. Tive o cuidado de verificar os municípios e quem conhece minha base eleitoral sabe como estou na base”, ponderou, durante entrevista concedida na manhã desta sexta-feira (05) à TV Centro América, destacando que até em Cuiabá registrou crescimento.

“Vai à região noroeste, faz pesquisa como estou no Araguaia. Até em Cuiabá mostra que estou acima dessa intenção de voto. Crescemos muito em Várzea Grande e vamos vencer essa eleição, até porque nossa campanha mal começou e não está todo mundo na rua”, reforçou Riva.

Leia também:  População define infraestrutura como prioridade nos debates da LDO

Quanto ao índice de rejeição atribuído ao candidato, ele deixou bem claro que quem o rejeita são os eleitores de Pedro Taques. “Rejeição é relativa, depende da forma como perguntar ao eleitor, ele pode responde mais de um candidato. Minha rejeição real está em 22%, quadro reversível com mandato na rua”.

Na entrevista concedida à TV, Riva também reafirmou que levará o governo do Estado para dentro das regiões com a criação das secretarias regionais de Desenvolvimento. “Criaremos essas secretarias justamente com o corte dos custos das atividades-meio do governo, que gasta muito com a contratação de trabalhadores. O Estado tem muitos servidores com competência, vamos redistribuir esses servidores, não será necessário fazer corte de pessoal. Desta forma, o cidadão não terá mais que se deslocar a Cuiabá para resolver seus problemas”.

Leia também:  Pátio deve anunciar Biliu no comando do Gasp

Quanto à principal área de atuação de seu governo, Riva não tem dúvida sobre o foco dos investimentos. “Qualquer excesso de arrecadação que houver, eu vou destinar à Saúde. A área sempre será minha prioridade”. Faz parte do plano de Riva as medidas prioritárias de construir um hospital estadual na Capital, com 300 leitos, outro regional em Barra do Garças e Tangará da Serra, para atender o Araguaia e o médio norte do Estado, e ampliará a capacidade de atendimento dos regionais.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.