Coletiva com a candidata da coligação Viva Mato Grosso, Janete Riva (PSD) – Foto AGORA MT
Coletiva com a candidata da coligação Viva Mato Grosso, Janete Riva (PSD) – Foto: Débora Siqueira / AGORA MT

A candidata da coligação Viva Mato Grosso, Janete Riva (PSD), e o produtor rural Rui Prado (PSD) que disputa uma vaga no senado aguardam informações sobre o paradeiro do piloto e co-piloto para retomar a agenda de campanha, paralisada desde sábado após o sequestro da aeronave de Janete em Pontes e Lacerda, quando ambos cumpriam agenda de campanha na região Oeste.

“Estamos aguardando informações para ter serenidade para voltar a campanha. Estamos avaliando com a assessoria como vamos participar das entrevistas e debates agendados para amanhã”, disse a candidata.

O candidato Rui Prado (PSD) tem o debate na TV Record para participar nesta segunda-feira (22), às 11 horas, e Janete no evento promovido pelo Tribunal de Justiça, às 14 horas.

Leia também:  Veículos com mais de 18 anos serão isentos de IPVA a partir de 2018

Conforme Janete, as informações são de que a aeronave voou em direção a Bolívia. Policiais do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) já estão em território boliviano, contudo, Janete Riva pediu que a procura pelos pilotos se estendessem até a Colômbia, pois o avião tinha autonomia de combustível para chegar até este país.

Além dos trabalhos realizados pela Polícia Militar e Polícia Civil, assessores da coligação Viva Mato Grosso acionaram o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

“É um momento muito dolorido os dois pilotos são nossos amigos. Se estamos baqueados imagina a família deles. O que nos conforta é saber que em caso de sequestro de aeronaves geralmente os pilotos são liberados cerca de três dias depois”.

Leia também:  Cavalo doido | Quadrilha é detida com mais de 500 kg de droga dentro de veículo

Comentários maldosos

Janete Riva repudiou os comentários maldosos de que o sequestro dos pilotos e o roubo da aeronove teria sido uma armação política. “Não consigo acreditar que alguém tivesse a coragem de usar esse mecanismo. Não estamos brincando e estamos falando em vidas. Não consigo imaginar que alguém possa usar desse artifício dolorido e não sensibiliza com a dor da família, não estamos falando de momento político, mas de seres humanos”.

A candidata também explicou o motivo de não ter declarado a aeronave roubada para a Justiça Eleitoral. O modelo, que segundo ela custa em torno de R$ 2 milhões, ainda está em financiamento na modalidade de leasing. “Nossa vida foi muita devassada. A aeronave é da família e não entrou na declaração de bens, estava com leasing. Vendemos a aeronave que estava na declaração e assim que terminasse o leasing será declarado”.

Leia também:  Assaltantes roubam motociclista enquanto transitava na avenida Goiânia
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.