O atual campeão dos pesos-meio-médios do UFC, Johny Hendricks, não luta desde março, quando conquistou o cinturão da categoria, e não deve lutar novamente até o final do ano. Após passar por cirurgia no bíceps na semana seguinte à sua vitória sobre Robbie Lawler, “Big Rigg” já está “85%” recuperado da lesão, segundo seu treinador de wrestling, Kenny Monday, mas seu agente, Ted Ehrhardt, declarou que o lutador só deve lutar em fevereiro.

– A última coisa que o UFC queria era começar a promover uma luta e ter de adiá-la se Johny tivesse uma reincidência. Ele já passou bem desse ponto agora, mas a programação está cheia. Ele é um lutador de evento principal e todos os eventos principais estão tomados. Parece que ele vai lutar em algum momento de fevereiro – comentou Ehrhardt em entrevista ao site “Espn.com”.

Leia também:  Atletas de Rondonópolis se destacam em competição nacional

Quando retornar, Hendricks deve enfrentar novamente Robbie Lawler, que venceu duas lutas seguidas desde a derrota para o atual campeão, no UFC 171.

Derrota de Damm tem tempo alterado

A comissão atlética de Mashantucket reviu a derrota de Rodrigo Damm para Al Iaquinta, no “UFC: Jacaré x Mousasi” do último dia 5 de setembro, e notou um erro na anotação do tempo de encerramento do combate. Iaquinta nocauteou Damm no terceiro round, e a interrupção foi anunciada como acontecendo aos 2m41s do período. Todavia, após a revisão, a comissão corrigiu o tempo do nocaute técnico para 2m26s.

Pelé luta nas regras do Pride

Após ser forçado a desistir de uma luta no Titan FC devido a problemas com o visto de entrada nos EUA, o veterano José “Pelé” Landi vai lutar novamente no circuito nacional no próximo sábado. O lutador cubano radicado no Brasil vai enfrentar Anatálio Gonçalves no evento principal do Samurai Fight Combat 11, em Curitiba. A luta acontecerá em peso especial de 80kg e terá regras do Pride, que incluem, entre outras diferenças, a permissão de chutes na cabeça, os famigerados “tiros de meta”, proibidos nas Regras Unificadas do MMA. Como parte da lendária equipe Chute Boxe, Pelé lutou no extindo evento japonês entre 2001 e 2002.

Leia também:  Inscrições abertas para estadual de tênis em Cuiabá

O Samurai Fight Combat inclui 14 lutas, incluindo 11 no card principal, e acontece no ginásio do Círculo Militar de Curitiba.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.