A saída de Luca di Montezemolo da Ferrari, anunciada nesta terça-feira pelo próprio presidente em comunicado enviado através da escuderia, só será efetivada depois do dia 13 de outubro, mas ele não deixará o cargo de bolso vazio. A indenização por deixar o grupo Fiat Chrysler, controlador da marca, será de cerca de € 27 milhões, quase R$ 80 milhões, segundo a imprensa internacional.

Montezemolo, de 67 anos, foi demitido do cargo depois de 23 anos à frente da presidência, que abrange a equipe de Fórmula 1. Na indenização, 13,7 milhões de euros (R$ 40,6 milhões) são correspondentes ao período na presidência, valor equivalente a cinco vezes o salário anual recebido por Montezemolo. O restante do valor que será pago ao dirigente italiano, cerca de 13,25 milhões de euros (R$ 39,2 milhões), é referente a uma cláusula contratual que proíbe Montezemolo de trabalhar numa companhia rival até 2017. Para o lugar de Montezemolo, a Ferrari anunciou a chegada de Sergio Marchionne, atual diretor-executivo da Fiat Chrysler, que irá acumular os dois cargos.

Leia também:  Atleta de Rondonópolis fica com cinturão do Conselho Mundial de Muaythai
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.