Londres, 11 set (EFE).- As canções mais famosas dos Beatles poderão ser ouvidas em vinil após uma remasterização das gravações originais no Abbey Road, o mítico estúdio utilizado pelo quarteto de Liverpool.  Nesse local lendário, que é visitado todos os dias por muitos turistas apaixonados pelo grupo, os técnicos de som realizaram um minucioso trabalho de remasterização para lançar ao mercado os álbuns mais importantes, como “Help”, “Please Please Me”, “A Hard Day’s” e “Revolver”.

Foto: Divulgação

 

Para renomado técnico Steve Berkowitz, o objetivo era regravar uma música que se aproximasse “o máximo possível” do som original, por isso as anotações feitas pelos Beatles em suas gravações no Abbey Road foram exaustivamente analisadas.

Segundo a gravadora Universal, a prensagem dos discos foi realizada a partir das gravações analógicas dos anos 1960.

Intitulado “The Beatles in mono”, o box está à venda desde o dia 8 de setembro e contém os nove álbuns dos Beatles gravados no Reino Unido, a “Magical Mystery Tour” e a coleção “Mono Masters”, junto com um livro de capa dura de 108 páginas que contém algumas fotografias do grupo e documentos de arquivo, além de artigos publicados em revistas.

Leia também:  Necro, uma das atrações do Cerrado Fuzz, fala de seu último CD, sonoridade e projetos

Mas “LeT It Be” e “Abbey Road” não farão parte do box porque nunca foram mixados em mono.

Beatles em apresentação no estádio Candlestick Park de São Francisco em 1966 - Foto: Internet

Muitos admiradores dos Beatles e inclusive o produtor do grupo, George Martin, sempre defenderam que a forma autêntica de apreciar o talento do quarteto de Liverpool era escutar a música em mono.

Este som é definido por um único canal e origina um som semelhante ao que se ouve em apenas um ouvido.

Isso é pode ser notado, por exemplo, ao ouvir a canção “Yesterday”, que se destaca pela clareza da voz de Paul McCartney, muito distinta a das reproduções em estéreo.

Para essa remasterização, Berkowits e o técnico Sean Magee mixaram as gravações sem auxílio da tecnologia digital e utilizaram os mesmos procedimentos dos anos 1960.

Leia também:  Com EP lançado este ano, Hottel Casablanca fala da expectativa de tocar no Cerrado Fuzz

Os engenheiros, que são apaixonados pelos Bealtes, explicaram em um encontro com a imprensa no Abbey Road Studio a importância do trabalho que realizaram com “discos que mudaram o mundo”, segundo Berkowits, que, assim como os jornalistas, não conseguia deixar de bater os pés no chão enquanto ouvia canções como “All my Loving”, “Yesterday” e “A Hard Day’s Night”.

Esses discos “soam como há 50 anos”, disse Berkowits.Beatles

Os técnicos se concentraram primeiro em ouvir várias vezes as gravações originais em mono e a comparar as distintas anotações que foram feitas pelos técnicos nos anos 1960.

Para Berkowits, o objetivo de seu trabalho era fazer o que os Beatles queriam no momento de suas gravações, “não tirar nem pôr nada” novo, a fim de respeitar os originais.

Leia também:  Beyoncé e Jay-Z compram mansão luxuosa avaliada em R$ 81 milhões

Nos últimos tempos, o lendário Abbey Road Studio foi cenário de diversas remasterizações, um trabalho que ganha cada vez mais força no mundo musical e na cinematografia.

Em Abbey Road é possível ver nas paredes várias fotografias dos integrantes dos Beatles em suas salas.

Ele é particularmente famoso porque os Beatles fizeram uma foto na faixa de pedestres em frente ao estúdio para ilustrar a capa do álbum “Abbey Road”, lançado em 1969.

Atualmente, o estúdio é utilizado, sobretudo, para gravações com orquestras, mas já recebeu artistas como Kylie Minogue, Amy Winehouse e Stevie Wonder. EFE

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.