O programa eleitoral de Pedro Taques (PDT), apresentado na noite desta quarta-feira (03.09), foi dedicado à apresentação dos compromissos assumidos pelo candidato ao governo de Mato Grosso para a área da segurança e mostrou, inclusive, algumas ações que realizou quando ainda era membro do Ministério Público Federal (MPF).

Foram mostrados dados alarmantes sobre a segurança pública em Mato Grosso durante o programa. Somente em 2013, foram 350 assassinatos e 31.631 roubos e furtos, um aumento de 11% em relação a 2012.

Como compromissos para a segurança, Taques irá reativar as delegacias distritais, instalar delegacias da mulher nos municípios, reestruturar o sistema prisional e fortalecer ações de combate ao tráfico de drogas.

Para assegurar uma gestão participativa, tem como compromissos o fortalecimento dos conselhos comunitários de segurança, a reestruturação do policiamento comunitário, de modo a estabelecer um novo canal entre o governo e a sociedade.

Leia também:  Presidente da Câmara de Rondonópolis participa de Sessão Especial em Itiquira

O pedetista também se comprometeu a modernizar a estrutura administrativa das polícias, estimular a atuação conjunta das polícias militar e civil e garantir ações da força nacional da Polícia Federal e Forças Armadas para a proteção dos 750 km de fronteira seca, além de reestruturar o Gefron.

Pedro Taques informou que irá agir na prevenção e repressão de crimes. No que diz respeito à prevenção, serão criadas escolas atrativas em período integral, para que crianças e adolescentes se mantenham longe das drogas e da violência. No período noturno, as unidades educacionais irão oferecer cursos profissionalizantes aos pais dos alunos. Já nos fins de semana, a comunidade poderá usufruir dos espaços culturais e esportivos das escolas.

 

Atuação no MPF

Taques iniciou seu espaço televisivo lembrando sua trajetória como procurador, quando contribuiu com investigações como a que culminou na prisão do então deputado federal Hildebrando Pascoal, posteriormente condenado por liderar um grupo de extermínio no estado do Acre. Outro caso no qual atuou e que foi trazido à tona no programa eleitoral foi o Sudam, onde as apurações do MPF chegaram a um ex-presidente do Congresso Nacional, então senador Jader Barbalho, parte de um esquema de desvio de dinheiro.

Leia também:  PMDB pode analisar expulsão de ex-governador Silval Barbosa

O programa também resgatou que Pedro Taques foi o procurador responsável pela Operação Arca de Nóe, que desmantelou o crime organizado na época e levou à prisão de João Arcanjo Ribeiro.

Segundo Pedro Taques, uma das situações mais marcantes das quais já participou no MPF foi a que defendeu a população Quilombola em Mata Cavalo, na região de Nossa Senhora do Livramento. Ele foi o procurador que garantiu o direito deste grupo de cidadãos de permanecerem no local onde viviam. Uma moradora, na televisão, demonstrou o sentimento de agradecimento que a comunidade nutre pelo pedetista. “A maior segurança que nós já tivemos de tempos para cá só aconteceu quando conhecemos o doutor Pedro Taques”, disse.

Leia também:  Cartórios poderão ser obrigados a publicar informações

O candidato afirmou, apesar da dedicada carreira como procurador, que entende a política como o único caminho para a solução dos problemas que assolam a população. Apresentou, ainda, suas ações no Senado Federal em prol da segurança pública, entre elas a aprovação do PSL 518, que regulamenta o artigo 245 da Constituição e estabelece o estatuto da vítima, documento onde fica determinado que o poder público preste assistência aos herdeiros e dependentes carentes de vítimas de crimes dolosos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.