Atualmente a Penitenciária Central do Estado (PCE) em Cuiabá, encontra-se com 79 presos com a doença tuberculose. Mesmo com prevenções, funcionários e até policiais da PCE já se contaminaram. Máscaras estão sendo usadas por presos que são ouvidos em depoimentos na sala, além de uma placa exposta na sala de Audiência da 14ª Vara Criminal alertando sobre os riscos de uma contaminação.

O fato dos funcionários estarem expostos a mais de dois mil homens presos em um espaço onde só cabem, no máximo 700 presidiários podem ter dificultado a prevenção da doença. O número de doentes na Penitenciária do estado já chegou a 130.

Em entrevista a um site de notícias do estado, a advogada Betsey Miranda, da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados de Mato Grosso (OAB-MT) alerta que a questão é grave, e que se não houver um trabalho ainda mais rápido e sério, a tendência é que a situação se complique.

Leia também:  Deputados de MT aprovam por 16 votos a 4 a PEC que limita gastos do governo durante 10 anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.