Mais de 1 milhão de pessoas foram forçadas a sair de casa devido ao conflito na Ucrânia, incluindo 814.000 ucranianos que estão agora na Rússia em diferentes condições, disse o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), nesta terça-feira (2).

O número de desalojados dentro da Ucrânia devido ao conflito quase dobrou nas últimas três semanas para ao menos 260.000, e há mais pessoas fugindo, disse um pouco antes a agência da ONU a repórteres em Genebra.

“É seguro dizer que há agora mais de 1 milhão de pessoas desalojadas como resultado do conflito, interna e externamente, em conjunto”, disse Vincent Cochetel, diretor do Acnur para a Europa, a jornalistas.

Leia também:  Herdeiro da Samsung é condenado a 5 anos de prisão por propina à ex-presidente

“Quero dizer, 260.000 na Ucrânia, uma estimativa por baixo, 814.000 na Rússia, e então você acrescenta o restante.. na Belarus, Moldávia, União Europeia.”
Soldados mortos

Quinze soldados ucranianos morreram no último dia no conflito no leste do país, anunciou o porta-voz militar ucraniano, Andrii Lysenko. “Quinze militares morreram e 49 ficaram feridos em 24 horas”, declarou em uma entrevista coletiva.

Os combates afetam o sudeste da região de Donetsk, perto das localidades de Komsomolske, Vasylivka e Rozdolne, ‘onde há combatentes rebeldes e tropas do exército russo’, segundo fontes da operação militar ucraniana.

Kiev e os países ocidentais acusam a Rússia de ter enviado tropas ao leste da Ucrânia: mais de mil soldados segundo a Otan e 1.600 de acordo com a Ucrânia. Moscou nega as acusações.

Leia também:  Imigrantes são encontrados mortos dentro caminhão de carga em estacionamento dos EUA
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.