O candidato ao governo de Mato Grosso, senador Pero Taques (PDT), assumiu o compromisso de melhorar a saúde pública em Mato Grosso, sendo parceiro dos municípios, investindo na atenção básica e de alta e média complexidade no interior. Ele também tem um projeto específico para as mulheres, o “Mãe Mato-grossense”, que irá melhorar o atendimento materno e infantil.

O Sistema Único de Saúde (SUS) já prevê atendimento às mulheres gestantes e aos bebês. No entanto, conforme informações obtidas junto aos técnicos da Secretaria de Estado de Saúde, o atendimento é feito de forma precária, com número de consultas e exames abaixo do recomendado e sem a qualidade necessária. Por isso, Mato Grosso apresenta altas taxas de mortalidade materno infantil.

Leia também:  Medeiros busca protagonismo dentro do Podemos

O Mãe Mato-grossense vai garantir atendimento de qualidade e o número adequado de exames no pré-natal, assistência ao parto e pós-parto. Para isso, uma das medidas que serão adotadas é considerada simples diante do mundo tecnológico em que vivemos: a informatização do sistema de agendamento de consultas e exames. Essa medida, inclusive, irá beneficiar não só as gestantes, mas todos os pacientes da rede pública de saúde.

O cenário atual mostra que muitas gestantes precisam sair de casa ou do trabalho para ir a uma unidade médica pública apenas marcar a consulta ou exame. Pelo projeto de Taques, a ideia é a de que, depois da primeira consulta, os próximos procedimentos sejam pré-agendados e confirmados via ligação telefônica.

Leia também:  Pátio nega disputar cargos em 2018 e foca no mandado de prefeito

Os números de Mato Grosso também mostram que exames pré-natal realizados pelas gestantes está aquém do necessário. Com Pedro Taques governador, as grávidas terão direito a, no mínimo, sete exames ou procedimentos, além de garantidas todas as vacinas e atendimento humanizado.

“Vamos garantir atendimento de qualidade à mulher e seu bebê. Hoje é injustificável que a gestante tenha que sair de casa ou do trabalho, tendo que pegar ônibus, enfrentando sol e chuva, apenas para marcar uma consulta. Nossa meta é humanizar o atendimento, dando mais tranquilidade à gestante neste momento delicado e importante da vida”, explicou Pedro Taques.

Pedro Taques também irá colocar em prática a lei federal 11.108, que garante às gestantes acompanhamento durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato. Ou seja, na hora do parto, pelo SUS, a mulher terá o direito de ter uma pessoa de sua escolha ao lado.

Leia também:  Por questões éticas advogado se recusa a continuar em defesa de Michel Temer

Além disso, irá respeitar os direitos humanos cumprindo o que determina a lei 11.634 de 27 de dezembro de 2007: toda a gestante assistida pelo SUS tem direito ao conhecimento e a vinculação prévia à maternidade no qual será realizado seu parto,  bem como a maternidade na qual será atendida nos casos de intercorrências no pré-natal. “É simples, mas garantirá o conforto e tranquilidade das mães de nosso Estado”, afirmou o candidato.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.