Em uma reunião articulada pelo prefeito Percival Muniz (PPS), na noite desta quarta-feira (24), o candidato a deputado estadual Reginaldo Santos (PPS) aproveitou a presença do favorito na corrida eleitoral para assumir o Governo do Estado, Pedro Taques (PDT), e de seis mil pessoas, no salão comunitário da Paróquia Santa Terezinha, para cobrar do pedetista o compromisso de instalar uma Delegacia de Defesa do Consumidor em Rondonópolis, aumentando o amparo jurídico e de fiscalização contra os maus serviços prestados aos compradores da região sul.

A argumentação do socialista é que o consumidor precisa de mais respaldo para poder lutar pelos seus direitos. “Em 2011, junto a vários companheiros do PPS, como José Medeiros e Wellington Portela, protocolamos na justiça uma ação contra a Vivo e nesta quarta (24) o Procon conseguiu fazer uma reunião com representantes da empresa para cobrar soluções. O Juca Lemos (coordenador do Procon) está fazendo um trabalho excepcional, mas sabemos que o Município sozinho não conseguirá ter estrutura para cobrar gigantes como é esta operadora de telefonia móvel. Por isso precisamos do Governo do Estado e de uma Delegacia de Defesa do Consumidor”, explicou.

Leia também:  Câmara dos Deputados deve votar criação da Federal de Rondonópolis em agosto

Há 11 dias do dia 5 de outubro, data das votações em 2014, a emoção tomou conta da noite. Enquanto Reginaldo foi levado ao palco pelos braços de vários apoiadores, o candidato ao Senado Federal do grupo de Taques, Rogério Salles (PSDB) e o postulante a deputado federal, Adílton Sachetti (PSB), discursaram ressaltando a importância do resgate da seriedade na política mato-grossense. Já o líder nas pesquisas para ocupar a cadeira de chefia do Palácio Paiaguás, quase não conseguiu subir ao palco em meio a vários abraços que ganhava da população.

Percival discursou aos presentes e testemunhou como prefeito a urgência da troca do comando do Executivo Estadual. “O Silval está roubando Rondonópolis. Além de não passar o que seria uma ajuda financeira do estado para nossa saúde, eles estão retendo o que vem do Ministério da Saúde, pelo Sus. Nós atendemos pacientes de todas as cidades da região sul e não recebemos nada por isso. Mas o Pedro vem aí e ele é justo (…) como disse o Reginaldo eu estou sendo o governador de 18 municípios, sem ter recurso para tanto, mas o novo governo vai corrigir isto”, completou, lembrando a fala do candidato a deputado estadual, a quem atribuiu tarefa de o substituir na Assembleia Legislativa de Mato Grosso – AL

Leia também:  Afastado do Senado, Aécio teve salário suspenso e perdeu carro oficial

Dentre vários assuntos que abordou, Taques falou sobre a importância de uma relação honesta entre o Governo do Estado e os deputados estaduais. “O Mato Grosso precisa de deputados estaduais sérios e competentes. A AL recebe R$ 40 milhões por mês do Silval e nos últimos anos o atual governador passou R$ 200 milhões a mais, inexplicavelmente (…) Para construir um hospital regional é necessário R$ 45 milhões para a obra e R$ 55 milhões para equipar, ou seja, com este repasse a mais, criminoso, daria para ter feito dois hospitais regionais em nosso estado”, criticou Taques.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.