Apesar de não ter registro de raiva em humanos nem em cachorros e gatos nos últimos 10 anos, a vacinação antirrábica em Rondonópolis continua sendo prioridade da saúde pública. Nos últimos 60 dias, em um trabalho que iniciou com os animais do campo e veio para a cidade com a realização do Dia D, com o funcionamento de 54 postos de atendimentos, no dia 13 de setembro, e com o reforço do trabalho em 12 postos no último fim de semana, foram, ao todo, 21.788 animais vacinados.

A coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses – CCZ, Fátima Melo, afirmou que o total de animais atendidos foi superior ao trabalho que já havia sido feito em 2013 e que era meta para o trabalho atual. “Conseguimos atingir 89,6% do nosso objetivo. Considerando que no ano passado nós tivemos o êxito de chegar em 87%, é possível dizer que a ampla maioria de animais domésticos, tanto cães como gatos, está livre da raiva, por pelo menos 12 meses”, avaliou.

Leia também:  Mutirão oferecerá casamento comunitário em Rondonópolis

Fátima, no entanto, ratifica que apesar da inexistência de focos, não é possível dizer que a raiva esteja erradicada e que a população deve ficar atenta. “O vírus é circulante, tanto é que foi notificado um caso em um boi, na Carimã. Isto significa que o cuidado tem que continuar sendo contínuo, ou corremos sim o risco de retomar o problema”, alertou.

Os donos, tanto de cachorros como de gatos, que não aproveitaram os dias ‘D’ de vacinação para imunizar seus animais, ainda podem levar seus bichinhos em qualquer dia útil da semana na sede do CCZ, saída para Poxoréo, que será aplicada a vacina.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.