Que os valores arrecadados para uma campanha são exorbitantes grande parte da população já sabe, porém na prática, trazer isso para a realidade é mais assustador ainda.

O candidato ao Governo, o senador Pedro Taques (PDT), foi o candidato que mais arrecadou até o momento na campanha em Mato Grosso. O senador Pedro Taques (PDT), ficou em 6º no ranking nacional (divulgado pela folha.uol), ele é o primeiro candidato de oposição num Estado com maior arrecadação no país. O doado para a sua campanha já chega a R$ 11,2 milhões.

Esse é o mesmo valor arrecadado pelo município de Dom Aquino com a população de mais de 8 mil pessoas, segundo dados do Impostômetro.

Leia também:  Relator inicia leitura de parecer sobre denúncia contra Temer após confusão

Transformando este dinheiro (R$ 11,2 milhões) em bens para a população, do qual os candidatos tanto falam, seria possível comprar mais de 100 ambulâncias equipadas ou construir até 40 postos de saúde em Mato Grosso. Pensando no lado da educação, seria possível construir mais de 800 salas de aulas, já com cadeiras e ventiladores ou contratar mais de 800 professores do ensino fundamental por ano.

Na área da segurança, daria para pagar o salário de quase 700 policiais por ano.

Porém o que preocupa a população é o que esses doadores receberão após a campanha.

Veja a lista dos dez candidatos a governador que mais arrecadaram:

1) Rui Costa (PT-BA): R$ 14,6 milhões
2) Geraldo Alckmin (PSDB-SP): R$ 14 milhões
3) Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ): R$ 13 milhões
4) Pimenta da Veiga (PSDB-MG): R$ 12,4 milhões
5) Paulo Câmara (PSB-PE): R$ 11,7 milhões
6) Pedro Taques (PDT-MT): R$ 11,3 milhões
7) Delcídio Amaral (PT-MS): R$ 10,5 milhões
8) Paulo Skaf (PMDB-SP): R$ 10,3 milhões
9) Camilo Santana (PT-CE): R$ 9 milhões
10) Armando Monteiro (PSB-PE): R$ 8,9 milhões

Leia também:  Rezende propõe Batalhão de Policiamento Militar Escolar
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.