O senador Pedro Taques (PDT), candidato ao Governo do Estado de Mato Grosso é um dos defensores da moralidade e da ficha limpa para os candidatos e seus apoiadores políticos, porém segundo dados da última prestação de contas feita ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), algumas de suas arrecadações de campanha vieram de empresários que já tem ‘ficha suja’ na justiça.

O candidato que já arrecadou R$11,279 milhões em doações, sendo a maior delas vinda do “rei da soja” Eraí Maggi na quantia de R$1,812 milhão. Eraí é acusado em um processo por trabalho escravo em uma de suas propriedades. Os seus irmãos, Elusmar e Fernando Maggi, que também estão envolvidos no processo, já doaram juntos quase um milhão.

Leia também:  Todos juntos no mesmo barco

Os empresários e irmãos Orlando e Caetano Polato doaram um total de R$ 500 mil a campanha e também já responderam por trabalho escravo. Há ainda doações de empresas e construtoras.

Se sentindo encurralado pelos últimos escândalos de seus doadores e coligados, inclusive do candidato ao Senado Rogério Salles (PSDB), Taques afirmou em entrevista que responde somente a própria história e não a história dos outros.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.