Divulgado nesta quarta-feira (10), pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a taxa de desmatamento na Amazônia Legal, onde Mato Grosso ocupa a 2ª colocação no ranking, com aumento de aproximadamente 50% da área degradada.

De acordo com dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (PRODES), no período de agosto de 2012 a julho de 2013 Mato Grosso foi responsável pelo desmatamento de uma área de 1.139 km², enquanto no levantamento anterior, de agosto/2011 a julho/2012, o perímetro foi de 757 km².

No levantamento da Amazônia Legal, que compreende os estados de Mato Grosso, Pará, Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Rondônia, Roraima e Tocantins, foi desmatada uma área 5.891km², o que representa um acréscimo de 29% em relação aos dados anteriores. O estado do Pará foi responsável pela maior área desmatada, 2.346 km².

Leia também:  MT é o Estado do Centro-Oeste com mais rodovias consideradas ótimas; diz CNT

O PRODES computa como desmatamento as áreas maiores que 6,25 hectares onde ocorreu remoção completa da cobertura florestal – o corte raso. O cálculo da taxa de desmatamento foi obtida após o mapeamento de 216 cenas do satélite americano Landsat 8/OLI.

A avaliação do Inpe mostra que essa é a segunda menor taxa de desmatamento na Amazônia Legal desde que o instituto começou a medi-la, em 1988, no âmbito do PRODES. De 2004 a 2013, a redução na taxa de desmatamento foi 79%. Naquele ano, o desmatamento foi 27.772 km² de florestas, quando foi criado o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.