Maior terminal de cargas da América Latina, o Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) completa este mês um ano de inauguração. A chegada dos trilhos na região marcou o início de uma nova fase para a logística agrícola de Mato Grosso, hoje maior produtor de soja do país. Pelo terminal ferroviário de Rondonópolis, neste período, foram movimentados mais de 8 milhões de toneladas de grãos. A previsão para os próximos anos é que esse número supere 10 milhões de toneladas.

A soja em grãos e o milho, principais produtos escoados, representam juntas 90% do montante movimentado. Os outros 10% correspondem ao farelo de soja. Todo este volume é destinado à exportação, integralmente via Porto de Santos. Diariamente, partem em média seis trens carregados dos produtos trazidos pelos mais de mil caminhões vindos principalmente da região norte do estado.

Leia também:  Incêndio é parcialmente controlado em Rondonópolis

Com a inauguração do terminal ferroviário de Rondonópolis, a ALL passou a operar com 70% a mais de produtividade em Mato Grosso. Sua estrutura de sete tombadores e capacidade estática de armazenagem de 60 mil toneladas de grãos, possibilitou a melhora no giro de caminhões e deu agilidade no escoamento da produção mato-grossense.

“Ao completar um ano de operação, o terminal mostra seu importante papel no processo de escoamento da produção agrícola de Mato Grosso. Nessa primeira fase, aprimoramos nossos processos e absorvermos com êxito os volumes de pico da safra. O terminal está operando com 100% da sua capacidade”, exaltou o gerente de Terminais em Mato Grosso, Ivandro Paim.

A busca contínua por qualidade assegurou ao terminal, já no primeiro ano, o recebimento da certificação GMP+B3 (Good Manufacturing Practice – Boas Práticas de Fabricação, em português), documento de reconhecimento internacional que atesta a qualidade da companhia nos procedimentos de recebimento, armazenagem e transbordo de produtos destinados à alimentação.

Leia também:  Acontece neste domingo (10) a 1ª Corrida da Independência

Investindo constantemente em seu quadro de pessoal, o terminal já gerou cerca de 300 empregos diretos e mais de mil empregos indiretos. A instalação de outras grandes empresas no Complexo Intermodal de Rondonópolis, prevista para os próximos anos, deve ampliar essas oportunidades, gerando novas vagas ao longo do tempo. A expectativa é de que essa nova leva de investimentos duplique o Produto Interno Bruto (PIB) da cidade.

Hoje, além do terminal da América Latina Logística (ALL), está operando no CIR um terminal da Noble, e da Brado Logística, subsidiária da ALL e pioneira no transporte ferroviário de contêineres.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.