Susan Mellen (esquerda) chora e abraça sua advogada, Deirdre O’Connor, após ser inocentada (Foto: AP Photo/Daily Breeze, Brad Graverson, Pool )
Susan Mellen (esquerda) chora e abraça sua advogada, Deirdre O’Connor, após ser inocentada (Foto: AP Photo/Daily Breeze, Brad Graverson, Pool )

Uma americana de 59 anos que passou 17 anos atrás das grades por assassinato teve sua condenação anulada nesta sexta-feira (10), depois que sua defesa lançou dúvidas sobre a pessoa que testemunhou contra ela.
Susan Marie Mellen comemorou com os filhos e as pessoas presentes na corte quando ouviu do juiz Mark Arnold sua decisão de arquivar o caso.

Mellen foi condenada à prisão perpétua em 1997 pelo assassinato de Richard Daly. Sua condenação foi baseadas no testemunho de uma mulher que contou às autoridades que Mellen tinha confessado o crime para ela.

Mas a própria irmã da testemunha, uma policial, a definiu como “provavelmente a maior mentirosa que já conheceu na vida”. A testemunha morreu em 2006.

Leia também:  Dois de seis turistas esfaqueados morrem em balneário do Egito

O juiz determinou a libertação imediata da mulher.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.