Um apagão deixou vários municípios do Acre e todo o estado de Rondônia sem energia elétrica nesta quinta-feira (2). Com os semáforos desligados, a Polícia de Trânsito foi acionada para minimizar os transtornos em vários pontos de Rio Branco. Por volta das 10h [horário local], a energia começou a ser restabelecida.

Em nota, a Eletrobras Acre informa que a interrupção no fornecimento foi ocasionado por um problema no Sistema Interligado Nacional, em Mato Grosso, atingindo os estados de Rondônia e Acre, de acordo com informações preliminares do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Segundo a Eletrobrás RO, a falta de luz foi causada por problemas na linha da Eletrobrás Eletronorte que abastece Rondônia. De acordo com o superintendente de operação e manutenção da concessionária de energia, João Picanço, uma anormalidade foi detectada e o Esquema

Leia também:  Conta de energia pode sofrer redução em setembro

Regional de Alívio de Carga (Erac) foi acionado, causando falta de tensão nas subestações de Rondônia.

O retorno do sistema foi liberado pela ONS às 9h50, e o fornecimento de luz está sendo retomado aos poucos nas cidades, começando pela capital Porto Velho.

No Acre, o apagão atingiu os municípios de Rio Branco, Senador Guiomard, Plácido de Castro, Acrelândia, Epitaciolândia, Brasiléia, Xapuri, Capixaba e Porto Acre, e as localidades de Vila Campinas e Vila do V. Segundo a Eletrobras, o ONS apura as causas da interrupção.

Várias escolas de Rio Branco liberaram seus alunos mais cedo. Na Organização de Centrais de Atendimento (OCA), no centro da capital, os usuários estão sendo orientados a voltar apenas na segunda-feira (6), já que, por ser zona eleitoral, a unidade não abrirá na sexta-feira (3).

Leia também:  Morre em hospital segurança que ateou fogo em crianças de creche em MG

Marcela Peres, de 28 anos, foi ao OCA nesta quinta-feira em busca de uma declaração para agilizar a licença maternidade e foi surpreendida com a falta de energia. “Só tenho até hoje para resolver”, lamentou.

O autônomo Pedro Teixeira da Silva, de 65 anos, esperava impaciente na fila de uma casa lotérica, em Rio Branco, a volta do sistema para que ele pudesse sacar dinheiro. “Além da greve dos bancos, agora essa queda de energia prejudicou totalmente a gente. Fica difícil cumprir com os nossos compromissos. Vou ter que ir para casa sem dinheiro e deixar para resolver amanhã”, reclamou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.