O coordenador de transição de governo, o prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT), anunciou a fusão de cinco atuais secretarias – Justiça e Direitos Humanos com Segurança Pública, Esportes e Lazer com Assistência Social e Comunicação deixa de existir e passa a integrar a estrutura da Casa Civil, além e a transformação de outras quatro pastas em superintendências como Turismo, Cultura, Indústria e Comércio e Agricultura.

A intenção é cortar boa parte de cargos comissionados, implantar a meritocracia aos servidores de carreira e ao final de 4 anos de gestão conseguir reduzir em até 20% o custo da máquina administrativa.

As pastas foram divididas em dois eixos: o primeiro com quatro pastas com perfil de desenvolvimento social e humano e as outras 8 com perfil econômico e financeiro. Foram mantidas com a mesma estrutura apenas as secretarias de Saúde, Educação, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia.

Leia também:  Vereador diz que está envergonhado por ser político

A mudança tem que passar pela Assembleia Legislativa, mas Pivetta diz que acha que não haverá problemas.

“Mato Grosso não tem outra opção. Acredito que os deputados eleitos têm essa responsabilidade de virar a página de um estado clientelista e empregador”.

TRANSIÇÃO

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), que conduz a transição de governo definiu os 12 coordenadores dos grupos de trabalho que vai comandar uma equipe de 30 pessoas que estarão na linha de frente da reforma administrativa. As equipes terão 40 dias para apresentar o diagnóstico de cada área, traçando o estado que se encontra o governo para que o governador eleito Pedro Taques (PDT) possa iniciar a gestão em ritmo acelerado.

Leia também:  Senado retira exigência de placa vermelha para Uber

O vice-presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira, será responsável pelo grupo de trabalho que estudar a situação da Sefaz. O administrador de empresas Julio Modesto vai coordenar os trabalhos na SAD, a professora aposentada da Unemat, Luiza Trovo fará o diagnóstico da Secitec. No quadro de coordenadores ainda estão, Reinhard Ramminger (Seplan), Carlos Ribeiro (Sesp e Sejudh), José Rodrigues (Seel e Setas), o vice-governador eleito Carlos Fávaro (Secretaria de Transportes), Marco Bertúlio (SES), Ana Flávia Aquino (Sema), Eduardo Chiletto (Secid) e Paulo Eduardo dos Santos (Seduc).

Uma das principais mudanças que devem ocorrer é a redução do número de cargos de confiança. “Será o mínimo necessário, não sei dizer quanto, mas serão poucos. O governador precisa de pessoas de confiança em cada setor. A perspectiva é motivar os servidores de carreira com a implantação da meritocracia. Quem produzir mais, vai ganhar mais”, explicou Pivetta.

Leia também:  Líder do PSDB faz ameaça e diz, quem votar em favor de Temer em denúncia "vai pagar caro"
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.