Foi um domingo especial para Lewis Hamilton. O britânico tornou-se o primeiro vencedor da história do GP da Rússia, viu sua vantagem na liderança do campeonato sobre Nico Rosberg aumentar e, de quebra, comemorou o inédito título do Mundial de Construtores garantido antecipadamente pela Mercedes. Mas a felicidade não foi completa porque, assim como todos no mundo da Fórmula 1, Hamilton não consegue tirar da cabeça o drama do companheiro de profissão, Jules Bianchi. O francês de 25 anos segue internado em estado crítico desde o gravíssimo acidente sofrido no Japão, no último dia 5 de outubro. Comovido, em entrevista ao site oficial da F-1, Lewis fez questão de dedicar seu triunfo ao piloto da Marussia.
– Durante toda semana uma pessoa esteve em minha mente durante todo o tempo e essa pessoa é Jules. Claro que há felicidade na equipe pelo título (do Mundial de Construtores), mas não há dúvidas que eu tenho pensado muito nele e na família dele. Mantenho minhas orações todo o dia. Gostaria de dedicar minha vitória a ele e a família dele. Espero que todo tipo de energia positiva ajude. Vamos mandar todas as boas vibrações para ele – disse o inglês, que correu com a inscrição “Forza Jules” (Força Jules) no capacete.
A equipe Mercedes comemorou o título inédito do Mundial de Construtores, mas disse que o drama enfrentado por Bianchi ofuscou qualquer festa:
– Não podemos esquecer o que aconteceu na semana passada. Mesmo que celebremos o título e mesmo que os garotos estejam feliz com todo o trabalho duro, nós nunca esqueceremos o que aconteceu com Jules – ressaltou Toto Wolff, diretor executivo da escuderia.
Fim de semana de homenagens a Bianchi em Sochi
Realizada dias depois do acidente de Bianchi, a etapa russa foi marcada por uma série de demonstrações de carinho ao piloto francês. Minutos antes da largada, pilotos, mecânicos e dirigentes se reuniram na reta principal. Em seguida, os competidores fizeram uma roda de oração pela recuperação do francês de 25 anos. A transmissão oficial da categoria projetou na pista a mensagem “Jules, todos nós estamos apoiando você”.A Marussia montou uma placa com os dizeres “Correndo por Jules”. A equipe, inclusive, participou da prova apenas com o inglês Max Chilton, e deixando o carro do francês montado nos boxes “em respeito a Bianchi”. Jules também foi lembrado pela Ferrari, de onde é membro da Academia de Pilotos. O time de Maranello também montou uma placa, com a inscrição “Forza Jules”, e as bandeiras da Itália e da França. Além disso, todos os pilotos correram com referência a Bianchi em seus capacetes, a maioria deles com o adesivo “Todos com Jules”, distribuído por Jean-Eric Vergne, da STR, compatriota do piloto da Marussia.
A Marussia montou uma placa com os dizeres “Correndo por Jules”. A equipe, inclusive, participou da prova apenas com o inglês Max Chilton, e deixando o carro do francês montado nos boxes “em respeito a Bianchi”. Jules também foi lembrado pela Ferrari, de onde é membro da Academia de Pilotos. O time de Maranello também montou uma placa, com a inscrição “Forza Jules”, e as bandeiras da Itália e da França. Além disso, todos os pilotos correram com referência a Bianchi em seus capacetes, a maioria deles com o adesivo “Todos com Jules”, distribuído por Jean-Eric Vergne, da STR, compatriota do piloto da Marussia.

Leia também:  Atleta da Seleção brasileira de Hóquei é assassinado com tiro na nuca em SP
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.