Depois de uma semana de discussões, o Sínodo dos Bispos, convocado pelo papa Francisco e dedicado à família, apresentou ontem (13) relatório que destaca a necessidade de a Igreja ouvir as famílias com as múltiplas facetas que a realidade contemporânea comporta. Segundo o secretário especial do sínodo, dom Bruno Forte, o trabalho, que ainda está em andamento, aborda a postura da Igreja ante os divorciados, os que se casaram novamente e as famílias formadas por homossexuais.

O documento ressalta que os homossexuais “têm dons e qualidades para oferecer à comunidade cristã” e que a Igreja deve ser para eles “uma casa acolhedora”, embora seja contra a união de pessoas do mesmo sexo. O relatório refere-se ainda à necessidade de atenção especial às crianças que vivem com casais homossexuais e lembra que, em primeiro lugar, devem vir sempre as exigências e direitos das crianças.

Leia também:  Homens com idade inferior aos 50 anos são proibidos de participar de oração muçulmana

Dom Forte enfatiza que a Igreja não concorda que o termo ‘família’ possa ser aplicado tanto à união entre homossexuais quanto ao casamento de um homem e uma mulher. No entanto, ele diz ser evidente que as pessoas humanas envolvidas nesses vários tipos de experiência têm direitos que devem ser tutelados.

Para o bispo e teólogo italiano, o problema não é a equiparação pura e simples, inclusive terminológica, dessas famílias. “É preciso buscar uma codificação de direitos que possam ser assegurados a pessoas que vivem em uniões homossexuais. É uma questão de civilidade e de respeito à dignidade das pessoas”, disse ele.

O Sínodo Desafios Pastorais da Família, que termina no próximo domingo (19), reúne 191 padres. A partir de quinta-feira (16), uma equipe formada por nove bispos redigirá o documento final do encontro que, depois de votado, será apresentado ao papa e enviado às conferências episcopais de todo o mundo para discussão pelas dioceses. Estas, por sua vez, deverão elaborar um informe que servirá para preparar o instrumento de trabalho para o Sínodo Ordinário sobre a Família, marcado para outubro do ano que vem.

Leia também:  Idosa com superstição joga moedas em turbina de avião e atrasa voo por cinco horas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.