Circula com muita força nos bastidores da política na Capital, que o prefeito cuiabano, Mauro Mendes (PSB), seria o principal articulador no processo de impedir a posse do 1º suplente de Pedro Taques (PDT), o rondonopolitano, José Antônio Medeiros (PPS).

Apesar de não haver confirmação do trabalho de Mendes nos bastidores e até no submundo, alguns fatos e atos indicam que realmente existe o dedo do prefeito da capital, na “operação” para impedir a posse de Medeiros. Entre estes fatos está o depoimento do advogado José Carlos Dorte, coordenador-geral da Coligação Mato Grosso Muito Mais, testemunha chave para Paulo Fiúza, empresário que tenta tomar a 1ª suplência de Medeiros, além disso, Dorte também é diretor da Fiemt, braço forte de Mendes junto ao empresariado.

Leia também:  Antônio Joaquim volta a pensar em entrar na disputa

Outro fato seria uma “vaquinha” que estaria sendo feita entre doadores de campanha de Taques, principalmente do agronegócio para financiar advogados e até seduzir pessoas que possam influenciar em uma decisão pró-Fiúza.

Resta saber se o prefeito cuiabano vai mesmo trair o apoio do PPS rondonopolitano, que foi o 1º a comprar a briga de Mendes quando este se lançou ao Governo em 2010. Há quem diga que de mal agradecido Mendes não tem nada, mas ele estaria na verdade ajudando a pavimentar junto com Taques o retorno ao poder da turma da botina, agora é esperar para ver.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.