A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou hoje (17) o fim do surto de ebola registrado no Senegal. Isso significa que o país, após registrar casos da doença, conseguiu interromper a transmissão do vírus.

O primeiro caso de ebola no país foi identificado no dia 29 de agosto, em um jovem que havia viajado para Dakar por terra, saído da Guiné, onde teve contato direto com uma pessoa infectada.
A OMS avaliou a resposta do governo senegalês como um bom exemplo do que se deve fazer diante de um caso importado de ebola. O país, de acordo com a organização, agiu de forma rápida para impedir que a doença se espalhasse.

Leia também:  Assassino que matou 58 pessoas e deixou mais de 500 feridos não tinha antecedentes criminais

“O plano de resposta do governo senegalês incluiu identificar e monitorar 74 contatos diretos do paciente, testagem rápida de todos os casos suspeitos, vigilância intensificada nos diversos pontos de entrada do país e campanhas de conscientização de amplitude nacional”, destacou.

Ainda segundo a OMS, no dia 5 de setembro, amostras de laboratório do paciente testaram negativo para ebola, indicando que o rapaz havia se recuperado da doença. Ele retornou para a Guiné no dia 18 de setembro.

O Senegal optou por manter um nível máximo de alerta por 42 dias – duas vezes o período máximo de incubação do vírus ebola. “Apesar de o surto ter oficialmente acabado, a localização geográfica do Senegal deixa o país vulnerável a novos casos importados de ebola”, acrescentou a OMS.

Leia também:  Cientistas criam método que detecta uso de cocaína pela impressão digital
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.