Agentes, escrivães, papiloscopistas e peritos da Polícia Federal (PF) em Rondonópolis-MT irão entrar em greve a partir da próxima quarta-feira (22) em protesto contra medida do Governo Federal que concentra o poder de todas as atividades do órgão apenas no cargo de delegado.

Para os policiais que representam 90% do órgão e que são responsáveis pela produção de provas técnico-cientificas com o objetivo de combater o crime, a edição da Medida Provisória (MP) 657/2014 centraliza a direção de todo o poder do órgão em um só cargo, um retrocesso que ocorreria em detrimento à autonomia investigativa de todos os outros cargos da PF.

A referida MP estranhamente foi assinada pela presidente Dilma Rousseff em pleno período eleitoral e em meio a denúncias e investigações de corrupção na Petrobras, o que gera ainda mais desconfiança e desapreço do contingente policial que luta por uma PF cidadã, moderna e eficiente. “Botamos o governo de joelho. Fazer uma MP na calada da noite, a dez dias das eleições, mostra claramente que o governo não estava dando atenção para a Polícia Federal como gosta de alardear na propaganda eleitoral”, afirmou o deputado federal, que por sinal é delegado da PF, Fernando Francischini (SDD-PR) na Câmara dos Deputados. Para os agentes da PF, a declaração do congressista é indício de uma possível chantagem contra o Governo, referentes a vazamentos seletivos do escândalo do pagamento de propinas na Petrobras.

Leia também:  Dupla é presa e menor apreendido após roubo de carro no Jardim Liberdade
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.