Uma família de Primavera do Leste vive o drama do caos da saúde pública. A matriarca Geni Barcellos de Lima, 62 anos, está internada há mais de um mês no Pronto Atendimento Municipal a espera de uma cirurgia de ‘ponte de safena’ que já foi autorizada pela justiça há 10 dias, entretanto, conforme informou parentes de Geni, até agora a Secretaria de Saúde não deu andamento nos documentos necessários.

Geni foi internada no dia 12 de setembro, depois de passar mal com fortes dores no peito. Já no hospital, o médico responsável diagnosticou que duas veias do coração estão entupidas e que será necessária uma operação com a máxima urgência.

Leia também:  Primavera do Leste | Incêndio destrói residência no Padre Onesto Costa

O tempo foi passando e a família aflita com a situação entrou no último dia 29 de setembro com recurso na Promotoria Pública, para garantir o direito na Justiça.

O resultado saiu no dia 7 deste mês, onde a juíza de direito Wandinelma Santos determinou em ofício, que a Secretaria de Saúde de Primavera do Leste providenciasse em um prazo de 48h, dois orçamentos referentes ao tratamento a ser utilizado pela paciente.

“Até agora não fomos atendidos pela Secretaria de Saúde, minha mãe precisa dessa cirurgia urgente e o quadro dela só está agravando”, lamentou uma das filhas de Geni.

A família ainda informou que por diversas vezes já procurou o responsável pela Secretaria de Saúde, no entanto, nada foi resolvido. “Vamos entrar novamente na justiça”, conclui a filha.

Leia também:  Cirurgias da Caravana da Transformação são prorrogadas até sábado (12)

VEJA NA ÍNTEGRA A DECISÃO

documento primavera do leste geni paciente

OUTRO LADO

O Site AGORA MT procurou o secretário municipal de Saúde Fábio Henrique Lago, para saber o motivo da demora da secretaria de Saúde em retornar os laudos determinados pela justiça, uma vez que a paciente depende dos mesmos para ser encaminhada a uma cirurgia.
Por telefone, Fábio argumentou que a Pasta tem acompanhado o caso desta paciente, mas que a cirurgia é de competência do Governo Estadual.

“A situação desta senhora é crítica, porém foge da competência do município”, declarou.

Quanto a demora em responder a determinação da magistrada, o gestor argumentou que teve dificuldades em adquirir os orçamentos, e que conseguiu apenas um que foi retornado na última terça-feira (14). Ele ainda denúncia que os hospitais têm negado a passar orçamentos, uma vez que o Estado não tem se comprometido com os pagamentos.

Leia também:  MP notifica Estado para fazer campanhas de incentivo a doação de córneas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.