A melhor idade é para ser bem vivida. É quando temos menos compromissos, mais tempo e tranquilidade para desfrutar sem pressa do que a vida nos oferece. Para aproveitar essa fase em sua plenitude, no entanto, é preciso chegar a ela com saúde, ânimo e disposição. A prática de exercícios físicos e uma dieta adequada são pontos chave para isso.

“Os cuidados com a alimentação devem começar o mais cedo possível”, afirma a médica nutróloga Debora Froehner. Segundo ela, somos um reflexo do que comemos e do estilo de vida que levamos. “As pessoas estão cada vez mais reféns do ritmo do cotidiano, com muito trabalho, dieta inadequada e pouca atividade física, e as consequências são doenças como a pressão alta, que hoje é comum em pessoas de 30 a 40 anos, mas antigamente só aparecia na terceira idade”, compara.

Leia também:  Pimentão para colorir a receita e turbinar a saúde

Foto: IlustrativaVocê é o que você come

Durante toda a vida, o ideal é basear a dieta em frutas e legumes orgânicos e alimentos naturais, evitando ao máximo produtos industrializados, artificiais e processados, como pizzas e lasanhas congeladas. A nutróloga também orienta a ingerir o mínimo possível de açúcar, frituras e “besteiras”, como bolacha recheada e salgadinhos.

“Quanto menos corantes e conservantes tiver seu alimento, melhor”, diz Debora. Ela explica que existem componentes de comidas industrializadas que pioram o envelhecer. É o caso do corante Caramelo 4, presente em refrigerantes, salsichas e vários outros produtos. “Ele pode ser responsável pelo Mal de Alzheimer. Se a pessoa já tem predisposição genética, o consumo dessa substância pode fazer com que a doença se desenvolva.”

A especialista também alerta para a importância da vitamina D. “As taxas desse hormônio devem ser monitoradas, pois sua carência aumenta o risco dos cânceres de mama, próstata e intestino. Procure um médico para fazer exames e, se for necessário, iniciar o tratamento.”

Leia também:  Calcanhar de maracujá: o que é essa doença

As mulheres, em especial, têm de se prevenir contra a osteoporose, ingerindo dois derivados de leite por dia, que são fonte de cálcio. A nutróloga enfatiza que o bom envelhecimento abrange um conjunto de fatores, que engloba a prática de atividade física, alimentação balanceada e estilo de vida saudável, sem cigarro e bebida alcoólica em excesso.

idososMovimente-se!

Exercícios físicos são importantes durante toda a vida, mas são ainda mais necessários na terceira idade. “Devido a problemas articulares, a tendência é que os idosos deixem de fazer atividades como sentar e levantar, agachar para pegar um balde, esticar os braços para estender uma roupa. O exercício físico vai estimulá-los a se manter ativos”, explica o professor de educação física Lineker dos Santos Martins, da academia Corpus.

Leia também:  O que o povo sabe sobre esclerose múltipla

Segundo ele, todas as atividades físicas podem ser recomendadas para idosos, observadas as devidas limitações. Doenças características do envelhecimento, como artrite, artrose e trombose, podem impor algumas restrições.

A musculação, diz o professor, estimula o aumento e manutenção da massa magra, além de fortalecer os tendões. Deve ser feita com o acompanhamento de um profissional de duas a três vezes por semana, se o idoso estiver saudável.

Já os exercícios aeróbicos estimulam a capacidade cardiorrespiratória e cardiovascular. “A caminhada é uma atividade natural que dá mais disposição e aumenta o metabolismo.” Martins ainda cita a hidroginástica, recomendada para pessoas com osteoporose e fibromialgia. “É feita dentro da água, o que diminui o impacto dos movimentos e, por consequência, as lesões.”

O professor ressalta que o idoso não pode ficar no sedentarismo. “A atividade física é determinante para a qualidade de vida dele.”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.