Os comparadores de preços online e o “show rooming” – quando o consumidor visita uma loja física para conhecer um produto, mas acaba comprando-o pela internet – estão tornando os clientes do varejo de eletroeletrônicos cada vez mais infiéis.

É o que mostra um levantamento da CVA Solutions, empresa de pesquisa de mercado e consultoria.

Segundo o estudo, 76,4% dos consumidores já conheceram o produto pessoalmente, mas optaram por comprá-lo online. Esse número era de 69,9% em 2013. Apenas 34,4% dos entrevistados nunca compraram um eletroeletrônico pela internet.

“As pessoas não compram eletroeletrônicos todos os dias. Como os produtos são caros, elas pesquisam bastante. O cliente pode ver o produto na sua loja mas comprar no e-commerce de outra marca”, explica Sandro Cimatti, sócio-diretor da empresa de pesquisa.

Leia também:  Mato Grosso cresce em produção de energia renovável

Segundo ele, para evitar as “traições”, as empresas precisam treinar seus vendedores para que eles proporcionem uma boa experiência de compra na loja. “Como o atendimento costuma ser demorado, muitas pessoas acabam comprando nas lojas virtuais.”

De acordo com o estudo, 63 redes de lojas foram citadas pelos entrevistados. A líder em força da marca, mais citada pelos consumidores, é a Lojas Americanas, seguida por Casas Bahia e Magazine Luiza. Em relação ao custo-benefício, a liderança é da Lojas Cem, seguida pelas marcas Big e Pernambucanas.

Na hora de recomendar uma marca para um amigo, os entrevistados preferem a Sam’s Club. Lojas Americanas, Submarino e Walmart são as marcas campeãs de vendas online.

Leia também:  Dívida pública sobe 0,32% em abril e fica em R$ 3,23 trilhões

O estudo ouviu 7.705 pessoas de todo o Brasil em agosto deste ano.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.