A Comissão Europeia anunciou nesta sexta-feira (03) que autoriza a compra do WhatsApp, aplicativo de mensagens para smartphones, pelo Facebook, em uma operação de US$ 19 bilhões.

A Comissão constatou, segundo um comunicado, que “Facebook Messenger e WhatsApp não são concorrentes próximos” e, portanto, “os consumidores continuarão tendo acesso, depois da operação, a uma ampla série de aplicativos” como Line, Viber, iMessage, Telegram, WeChat ey Google Hangouts.

“Os aplicativos para comunicações ‘mobile’ têm cada vez mais êxito. Apesar do Facebook Messenger e do WhatsApp estarem entre os aplicativos mais populares, a maioria das pessoas não utiliza apenas um aplicativo, mas vários”, afirmou o comissário europeu para a Concorrência, Joaquín Almunia.

Leia também:  "Dia Mundial do Brincar" evento enfatiza a importância de criança ser criança

Depois de examinar o projeto de aquisição “com muita atenção, chegamos à conclusão que não prejudica a concorrência neste mercado dinâmico e em plena expansão”, explicou Almunia.

Em abril, as autoridades americanas aprovaram a fusão.

O Facebook tem 1,3 bilhão de usuários no mundo, dos quais 300 milhões utilizam em seus smartphones o aplicativo Facebook Messenger, enquanto o WhatsApp tem 600 milhões de usuários.

Estes aplicativos permitem aos usuários uma comunicação via texto, fotos, vídeos e mensagens de áudio.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.