Um dos principais motivos impulsionadores dos preços do boi gordo no Brasil está relacionada a crise hídrica que assola alguns estados do país. Contudo o acumulado de chuvas em MT até outubro foi semelhante ao do ano passado, em mais de 15% maior que a média dos últimos cinco anos, segundo dados da Somar que estuda a meteorologia. As informações foram divulgadas pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Ainda conforme os dados, em relação às condições das pastagens há uma diferença bem clara entre as regiões de MT. Em geral as regiões oeste, centro-sul e sudeste estão com boa disponibilidade de forragem, já que não passaram por longos períodos de estiagem até outubro. Bem diferentes estão as regiões noroeste, norte, nordeste e médio-norte, onde a maioria das áreas de pastagem ainda está em recuperação, tendo as chuvas se iniciado somente agora no final do mês.

Leia também:  Mais de 4 mil pessoas já foram atendidas no projeto Sábado Social

O estudo conclui que com o início das “águas” será reiniciada a engorda em pasto que, quando combinada com preços elevados, torna-se um potencial altamente competitivo.

ARROBA DA CARNE 

O mês de outubro também terminou com a maior valorização nos preços da arroba da carne bovina desde agosto/2014 em MT, conforme o Imea. De acordo com os dados foram registrados um aumento de 2,09% para o boi gordo e 1,66% para a vaca gorda.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.