Começou nesta segunda-feira (10) e segue até o dia 13 de novembro o Seminário 4 do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa em Mato Grosso, no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá. A abertura do evento, recebeu a conferencista convidada, professora Eliane Scheid Gazire (PUC -MG), que trarou à discussão o tema “Língua Portuguesa e Matemática: Diálogos Possíveis”. A chefe de divisão da Coordenação de Formação Continuada (DAGE/SEB) do Ministério da Educação, Tatiane Nicéas, também vai participar do evento.

Ainda na abertura, os participantes assistiram a apresentação teatral “Os Saltimbancos”, uma livre adaptação interpretada pelas crianças da E.M.E.B. Gonçalo Domingos de Campos, de Várzea Grande, sob a coordenação da professora Anne Caroline.

Leia também:  Dobram os casos de febre Chikungunya no 1º semestre em MT

Ao longo de quatro dias os 28 formadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) estarão reunidos com os 323 Orientadores de Estudo das redes municipal e estadual de ensino de todo o estado, para dar continuidade à formação, que, em 2014, dá ênfase ao estudo da matemática, sem perder de vista a linguagem. “Educação estatística” e dos “Saberes matemáticos e outros campos do saber” serão os temas abordados. Os orientadores são responsáveis pelo curso desenvolvido junto a 5.200 Professores Alfabetizadores de Mato Grosso.

Além do Seminário, nos dias 10 e 11 também será a 2ª Reunião com os Coordenadores Locais do Pacto que vai contar com a participação dos coordenadores estadual e municipais do programa em Mato Grosso, o que dá aproximadamente 150 pessoas.

Leia também:  PM leva mais de 1.300 policiais às ruas em ações preventivas e de repressão à violência

A coordenação dos encontros de formação está sob a responsabilidade das professoras Cancionila Janzkovski Cardoso, Sílvia de Fátima Pileggi Rodrigues e Cecília Fukiko Kamei Kimura, da UFMT, campus de Rondonópolis.

O Pacto

O Pacto é um acordo formal assumido pelo Governo Federal, estados, municípios e entidades para firmar o compromisso de realmente alfabetizar as crianças até, no máximo, 8 anos de idade.

É sabido que no Brasil muitas crianças têm concluído sua escolarização sem estarem plenamente alfabetizadas. Para tanto, o Pacto emerge como uma ferramenta para contribuir com o aperfeiçoamento da formação dos professores alfabetizadores.

O Pacto é constituído por um conjunto integrado de ações, materiais e referências curriculares e pedagógicas a serem disponibilizados pelo Ministério da Educação (MEC), tendo como eixo principal a formação continuada de professores alfabetizadores.

Leia também:  MT registra mais de 3 milhões de toneladas de soja embarcada em maio
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.