Renan Barão não costuma dar muitas respostas de efeito. Avesso às entrevistas, o ex-campeão dos pesos-galos faz questão de dizer que prefere mostrar seu trabalho dentro do octógono apenas. Entretanto, a rivalidade da Nova União com a Team Alpha Male e algumas declarações de TJ Dillashaw parecem ter tirado o brasileiro do sério. Nesta segunda-feira, em conversa com jornalistas, o lutador se mostrou mordido para uma possível revanche contra o americano e disse que gostaria que o duelo acontecesse no Brasil. Quando foi perguntado sobre uma eventual encarada como a de José Aldo e Chad Mendes no Maracanã, que teve inclusive um empurrão por parte do campeão dos penas, Barão soltou a pérola e declarou que Dillashaw “ia ficar todo cagado”.

– O Dillashaw está falando besteira demais. Quando a gente se enfrentar de novo vai ser uma história totalmente diferente. Ele acertou uma pancada no começo da luta, mas a próxima vai ser completamente diferente. Pode anotar que, quando a gente se enfrentar, ele vai ver outro Renan Barão. Mas acho que ele não vence o Dominick Cruz. O Cruz tem mais jogo que ele, é mais experimentado e acho que leva essa. Eu até prefiro que o Dillashaw ganhe, porque seria uma parada mais apimentada, a galera falaria mais e seria briga boa. Mas não gosto muito de ficar soltando piadinha fora não. Gosto de mostrar meu trabalho lá dentro. Vou mostrar lá dentro o melhor Renan Barão que já existiu. Seria ótimo se a gente se enfrentasse no Brasil. Acho que (na hora da encarada) ele ia ficar todo cagado. Lutar em casa é fácil, quero ver aqui, é totalmente diferente. Estou focado e espero enfrentar ele e trazer o cinturão de volta. É bom ele aproveitar o cinturão porque em breve vou trazer de volta para o Brasil – afirmou.

Leia também:  Judoca brasileira vence adversária com 11 segundos e se torna a bicampeã mundial

Barão está na reta final de sua preparação para enfrentar Mitch Gagnon, no dia 20 de dezembro, pelo coevento principal do UFC: Machida x Dollaway, em Barueri-SP. O canadense é apenas o 14º do ranking da divisão até 61kg, mas o brasileiro faz questão de pregar respeito ao oponente. A intenção do lutador da Nova União é que o triunfo o alce novamenet a uma disputa de título.

– Como sempre falei, enfrento qualquer um que o UFC quiser, não tenho problema nenhum. O Gagnon não é tão conhecido, mas é duro. No UFC, tem quatro finalizações em cinco lutas. Estou muito bem e treinando para o melhor que eu enfrentar. Espero fazer uma grande luta para que o Dana White veja e me credencie para disputar o título. Estou muito feliz com a oportunidade de lutar no Brasil, nunca lutei aqui pelo UFC, estou bem motivado quanto a isso e prometo dar um grande show para todo mundo – garantiu.

Leia também:  Academia e União vão disputar o Estadual Sub-17

A revanche entre Renan e Dillashaw era para ter acontecido no UFC 177, no dia 30 de agosto, mas o brasileiro teve problemas no corte de peso e precisou ser substituído na véspera do confronto. Joe Soto foi o escolhido para lutar e acabou nocauteado no quinto round. Para evitar que os problemas se repitam, Barão agora conta com o apoio de um nutricionista e acredita que a derrota para o americano, quando perdeu o cinturão dos galos, serviu como aprendizado.

– Sempre entrei bem focado nas minhas lutas, luta é luta, sempre acontecem imprevistos, estou cada vez tentando melhorar mais, focando um pouco mais, tentando regrar mais, treinando mais a parte em pé, o jiu-jítsu, focar em todas as áreas para chegar lá e trazer essa vitória. Tentei aprender tudo, melhorar na alimentação, no boxe, tudo. Derrota é derrota, serve como aprendizado e aprendi que tenho que treinar mais e focar mais. Mudei muita coisa na minha alimentação. Estou comendo de forma mais regrada. Comia pizza, macarronada, agora estou com um nutricionista que está cuidando da minha dieta. Nunca é fácil o corte de peso, mas estou muito bem. Estou dando uma regrada a mais um pouco antes e estou muito bem, vai dar tudo certo. A gente já está acostumado com o clima aqui também, vai ser bem mais fácil – finalizou.

Leia também:  Academia é destaque em competição em Minas Gerais

UFC: Machida x Dollaway
20 de dezembro de 2014, em Barueri (SP)
CARD PRINCIPAL
Peso-médio: Lyoto Machida x CB Dollaway
Peso-galo: Renan Barão x Mitch Gagnon
Peso-meio-pesado: Antônio Cara de Sapato x Patrick Cummins
Peso-leve: Elias Silvério x Rashid Magomedov
Peso-meio-médio: Erick Silva x Mike Rhodes
Peso-pena: Rony Jason x Tom Niinimaki
CARD PRELIMINAR
Peso-meio-pesado: Marcos Pezão x Igor Pokrajac
Peso-médio: Daniel Sarafian x Dan Miller
Peso-pena: Darren Elkins x Hacran Dias
Peso-galo: Leandro Issa x Ulka Sasaki
Peso-meio-médio: Marcio Lyoto x Tim Means
Peso-médio: Vitor Miranda x Jake Collier

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.