A confiança era grande. Antes do embarque a Limoeiro, no Ceará, para a disputa do cinturão do Arena Fight Combat, Luis Felipe Buda não demonstrava medo e jurava que poderia derrotar a experiência de José Maria No Chance, ex-lutador do UFC e com cartel de lutas oito vezes maior do que o piauiense de 21 anos. Três rounds depois, Buda perdeu o combate por pontos na decisão unânime dos jurados, mas não o discurso do lutador parte para o ataque. Criticando a postura de No Chance no duelo, Buda considera que o estilo do adversário é de fugir da luta.

– Foi um duelo bacana, de três rounds, apesar de a decisão ter privilegiado ele (No Chance). Fico com raiva porque tivemos apenas três rounds, quando o correto seria cinco porque se tratava da disputa de cinturão. Devem ter visto que ele não aguentava mais. Infelizmente, ele não quis trocação e só jogou por baixo, querendo o chão e ficou amarrando. O estilo de luta dele é muito chato, diferente do meu que tem a trocação franca e a busca pelo nocaute – explicou, com chateação, Buda.

Leia também:  União faz neste sábado primeiro jogo da final do sub-19

Com o resultado, o piauiense somou a segunda derrota no cartel de cinco lutas. Integrante do Shooto 47, quando perdeu para Bruno Korea por finalização (triângulo de mão), Buda deve fazer parte da quinta edição do Piauí Fight Gladiators. Em janeiro, o lutador viaja para o Rio de Janeiro onde aguarda participação em nova edição do Shooto.

– Apesar da derrota, foi a uma experiência muito boa lutar com No Chance, um lutador de nome e com mais de 40 lutas na carreira. Agora, é fechar o ano. Não tenho certeza se vou participar do Piauí Fight, mas viajo no dia 5 de janeiro para o Rio terminar meu camping por lá para em fevereiro possa lutar mais uma vez no Shooto – completou.

Leia também:  Antigo Luthero vira cult e ganha lembrança especial do torcedor
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.