Comissão técnica da Presidência da RepúblicaO Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco está entre os 270 aeroportos regionais do Brasil escolhido para receber investimentos da União para ampliação. Assim, uma comissão formada pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República e de pesquisadores do Laboratório de Transportes e Logística – LabTrans, da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, esteve, durante toda esta quinta-feira (13), em reunião e visita ao Aeroporto Municipal para analisar a gestão aeroportuária do Município.

No período da manhã ocorreu uma reunião com os secretários municipais de Transportes e Trânsito, Argemiro Ferreira e a gestora do Gabinete de Desenvolvimento Econômico, Stefânia Pasqualotto. Os secretários apresentaram os índices socioeconômicos da cidade e apontamentos sobre a gestão aeroportuária. Na parte da tarde a comissão visitou o Aeroporto Municipal, especialmente o terminal de passageiros, e conferiram o tamanho da área onde o mesmo está localizado.

Leia também:  Reunião discute reativação do Rede Cidadã em Rondonópolis

Segundo Argemiro Ferreira, o Aeroporto Municipal tem uma grande demanda por passageiros e, por isso, uma importante necessidade de expansão. Ele apontou, ainda, que a gestão do prefeito Percival Muniz entende que Rondonópolis precisa de um aeroporto bem estruturado e que já vem trabalhando nesta direção, inclusive, investindo em capacitação dos funcionários locais e na melhoria das condições do aeroporto.

“A equipe que trabalha no aeroporto participa de todos os cursos da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República visando à qualificação, bem como a equipe de bombeiros, que também participa de cursos de combate a incêndio”, ressaltou Argemiro sobre a importância que o município dá à qualificação dos profissionais diretamente envolvidos com o Aeroporto Municipal.

Leia também:  Pátio reconhece problema, mas nega fechamento da Coder

Stefânia, além de apresentar os dados socioeconômicos da cidade, destacou ainda a demanda do turismo de negócios local, proporcionado principalmente pelo agronegócio e a agroindústria, setores altamente desenvolvidos no município. A demonstração dos índices indica a grande demanda da cidade pelo transporte aéreo e a vocação para o crescimento. “Rondonópolis é hoje a cidade que mais gera emprego em Mato Grosso, segundo último levantamento do Caged, e conta com uma população flutuante de 250 mil habitantes”, argumentou a secretária.

Para Carlos Eduardo Gomes, chefe da Divisão de Gestão Aeroportuária da Secretaria de Aviação Civil, a comissão realiza um estudo de modelos de gestões aeroportuárias no Brasil e o modelo rondonopolitano é um dos escolhidos para a análise. “Viemos conhecer na prática o dia a dia do aeroporto.”

Leia também:  Nuvem de fumaça faz escola municipal dispensar alunos

“Vimos aqui pontos positivos como funcionários comprometidos, uma área extensa, que facilita o crescimento, e uma importante proximidade da Prefeitura, por meio do secretário [Argerimo Ferreira] com o dia a dia do aeroporto, o que é muito importante na gestão aeroportuária, além de uma boa parceria entre Município e Estado”, argumentou Gomes.

De acordo com o pesquisador do LabTrans, Diogo Bertussi, outro ponto positivo da gestão do aeroporto é o entendimento que a administração municipal tem do potencial aeroportuário e uma expectativa de que a reestruturação é importante para a economia local, podendo até mesmo fomentá-la.
Também esteve presente na visita o gerente de Aeropostos da Secretaria de Estado de Transportes, José Carlos Ferreira da Silva.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.