A Comissão de Esporte aprovou na quarta-feira (12) a realização de auditoria externa, com o auxílio do Tribunal de Contas da União (TCU), para investigar possíveis irregularidades na aplicação de recursos públicos pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

O texto aprovado é a Proposta de Fiscalização e Controle 181/14, do deputado André Figueiredo (PDT-CE). Segundo o autor, uma reportagem da ESPN Brasil de fevereiro deste ano, intitulada “Dossiê Vôlei”, aponta para favorecimentos a empresas pertencentes a ex-dirigentes da CBV na intermediação de contratos e convênios da entidade com órgãos do governo federal e com o Banco do Brasil.

De acordo com a reportagem, uma das intermediações teria rendido R$ 10 milhões à SMP Logística e Serviços Ltda, de propriedade de Marcos Pina, superintendente da CBV em 2013.

Leia também:  Primavera do Leste e Mirassol D´Oeste elegem os novos prefeitos

Relator na comissão, o deputado Romário (PSB-RJ) apresentou parecer favorável à proposta. Para ele, a iniciativa beneficia o contribuinte e a sociedade brasileira, ao prezar pela aplicação correta dos recursos públicos no esporte.

Segundo o plano de execução da investigação legislativa, serão auditados:
– os convênios realizados diretamente entre órgãos do governo federal e a CBV;
– os contratos realizados entre o Banco do Brasil S/A e a CBV.

A PFC 181/14 prevê que o TCU remeta cópia dos resultados da auditoria à Comissão de Esporte.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.