O consumo de álcool, principalmente vinho, cresceu 20% nos últimos anos. Isso se deve a diversas crenças de que tomar uma taça de vinho por dia faz bem para circulação e coração. Mas e para o aparelho digestivo?

Um estudo recente publicado na revista JAMA, em 2014, demonstrou que o Resveratrol (encontrado nas sementes de uvas, na película das uvas pretas, no vinho tinto e chocolates) não está associado com a diminuição da incidência de doenças cardiovasculares. Porém, o consumo de álcool predispõe ao câncer do aparelho digestivo e estima-se que a longo prazo teremos um aumento desta doença na população devido ao aumento da ingestão de bebida alcoólica na população mundial.

Leia também:  Saiba como está a pesquisa da vacina brasileira contra a dengue

Assim, nos dias de hoje, a população preocupa-se com: sabores das comidas, comidas hipercalóricas (mais saborosas) e harmonização com vinho. Combinam os três fatores do câncer do aparelho digestivo: dieta hipercalórica, álcool e a consequente obesidade. Importante relatar que a mídia em geral favorece e até estimula o consumo de vinho, haja visto programas de televisão em horários abaixo das 22 horas mostrando casais consumindo vinho normalmente.

O consumo de vinho está passando hoje uma situação semelhante a que ocorria no cigarro no período pós-guerra, onde era comum vermos artistas ilustres fumando no decorrer dos filmes. Vale dizer que essas figuras queridas da nossa infância morreram a maioria de câncer, como por exemplo: Walt Disney, Robert Mitchun, entre outros.

Leia também:  Chocolate turbina seu cérebro e sua memória, diz estudo
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.