Damascos são frutas pequenas de cor amarelo-dourada e pele aveludada, com sabor adocicado e um leve toque de acidez. O damasco é botanicamente relacionado com amêndoa, ameixa, pêssego e nectarina. No Brasil é difícil encontrar o damasco fresco ? a importação é muito pequena e seu preço pode ser muito alto. O damasco é fonte de vários nutrientes incluindo fibras, vitaminas A, C, E, complexo B, potássio, ferro, fósforo, magnésio e antioxidantes como carotenoides e flavonoides.Foto: Reprodução / Internet

Embora o processo de desidratação reduza o conteúdo de vitaminas solúveis em água e sensíveis ao calor, como a vitamina C, outros nutrientes tornam-se mais concentrados. O damasco seco possui uma concentração de minerais e de vitamina A muito superior à do damasco fresco. Por outro lado 100 gramas da fruta fresca têm 50 calorias enquanto 100 gramas de damasco seco têm 240.

Leia também:  Os perigos da automedicação

Fonte de fibras

O damasco é boa fonte de fibra dietética. Ele contém fibras solúveis que ajudam a reduzir os níveis de colesterol, aumentam o bolo fecal, aceleram o trânsito intestinal, previnem a constipação e doenças do cólon como a diverticulose. Uma porção de 100 gramas fornece 7 gramas de fibra.

Potássio

Cem gramas de damascos secos contêm 33% da RDA (dose recomendada diária) de potássio, enquanto a versão fresca tem 7% da RDA. O potássio combate câimbras e ajuda a manter a pressão arterial saudável, e quem não ingere o mineral de forma suficiente tem maior risco de desenvolver hipertensão.damasco-seco

Vitamina A e carotenoides

Em 100 gramas de damasco seco estão 72% da RDA para a vitamina A. Ela funciona como um antioxidante e é essencial para o crescimento celular, para o sistema imunológico e para a saúde dos olhos, ossos, pele, cabelos, gengiva e glândulas. Os carotenoides presentes no damasco dão a bela cor do fruto: luteína, zeaxantina, alfa e betacaroteno. Eles protegem a retina (a parte do olho que capta a imagem visual) dos danos causados pela luz ultravioleta. A luteína e a zeaxantina ajudam a prevenir a degeneração macular senil, a maior causa de cegueira na idade avançada.

Leia também:  Quando remédio e exame fazem mal: conheça a prevenção quaternária

Licopeno contra o câncer

Damascos também são ricos em licopeno, um poderoso antioxidante da família dos carotenoides, que protege contra o câncer, particularmente de próstata, mama, laringe, esôfago e pulmão.

Bioflavonoides e polifenois

O damasco é rico em outros bioativos com poder antioxidante, os flavonoides ou compostos fenólicos: quercetina, antocianina, catequina, ácido ferúlico, ácido cafeico, ácido cumárico e ácido gálico. Estes polifenois estão associados à redução de doenças por seu efeito protetor contra a ação de radicais livres, e ainda ajudam a prevenir a formação de catarata.Foto: Reprodução / Internet

Catequina combate a inflamação

Damasco é uma ótima fonte de catequina, um polifenol com ação anti-inflamatória potente, pois inibe a atividade de uma enzima chamada ciclo-oxigenase-2, presente no processo inflamatório. Os estudos têm mostrado que alimentos ricos em catequinas podem proteger os vasos sanguíneos de danos relacionados com a inflamação, e ainda ajudam no controle da pressão arterial.

Leia também:  Em um ano, excesso de peso matou 4 milhões de pessoas

Quanto comer

Uma porção corresponde a 10 unidades de damasco seco (uma média de 35 gramas), e isto equivale a 80 calorias. Ele pode ser consumido diariamente ao natural, ou pode ser acrescentado no iogurte, na salada de frutas, no suco ou vitamina.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.