Equipe com mais títulos da Fórmula 1, a Ferrari vive tempos difíceis e está perto de completar a atual temporada sem uma vitória sequer. Mas a longa tradição do time de Maranello na principal categoria do automobilismo mundial faz toda a diferença quando o assunto é dinheiro. De acordo com um levantamento da revista “Forbes”, tendo como base o ano de 2013, a escuderia italiana tem valor estimado em 1 bilhão de euros (R$ 3,2 bilhões), cifra muito superior aos 649 milhões (R$ 2,1 bilhões) atribuídos à segunda colocada, a britânica McLaren.

Com uma trajetória relativamente recente na F-1, a tetracampeã RBR aparece na terceira posição, com valor estimado em 513 milhões de euros (R$ 1,6 bilhão). Em comparação a 2012, a equipe austríaca foi a que mais cresceu: 60%. A atual campeã, a Mercedes, que no ano passado ficou com o segundo lugar do Mundial de Construtores, surge apenas em quarto lugar, com cotação de 449 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão). A Williams, equipe do brasileiro Felipe Massa, fecha o top 5, avaliada em 304 milhões de euros (R$ 984 milhões).

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

A inglesa Lotus, com valor de 196 milhões de euros (R$ 634 milhões) ocupa a sexta posição, e a Force India aparece na sétima, com 128 milhões (R$ 414 milhões). A Sauber, que terá o brasileiro Felipe Nasr como titular na próxima temporada, é cotada em 124 milhões de euros (R$ 401 milhões) e ocupa o nono lugar do ranking, enquanto a italiana STR, co-irmã da RBR, está em décimo, avaliada em 120 milhões de euros (R$ 388 milhões). A Caterham, que procura investidores para continuar na F-1, e a Marussia, que já encerrou suas atividades, não foram incluídas no levantamento.

Em relação às receitas, a Ferrari arrecadou 369 milhões de euros (R$ 1,2 bilhão) no ano passado. Neste quesito, a segunda colocada foi a RBR, com receita estimada em 195 milhões de euros (R$ 630 milhões). Este dinheiro é obtido principalmente por meio de cotas de patrocínio e de premiações. No caso da Ferrari, os patrocínios responderam pela maior parte, enquanto que a RBR conquistou a maior parcela com as premiações referentes aos bons resultados obtidos nas pistas.

Leia também:  Atletas de Rondonópolis se destacam em competição nacional

Confira o ranking das equipes mais valiosas da Fórmula 1:
(em reais)

1. Ferrari – R$ 3,2 bilhões
2. McLaren – R$ 2,1 bilhões
3. RBR – R$ 1,6 bilhão
4. Mercedes – R$ 1,4 bilhão
5. Williams – R$ 984 milhões
6. Lotus – R$ 634 milhões
7. Force India – R$ 414 milhões
8. Sauber – R$ 401 milhões
9. STR – R$ 388 milhões

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.