O deputado federal eleito, Fábio Garcia (PSB) está na mira do Ministério Público Federal (MPF). O órgão determinou a instauração de um Procedimento Preparatório Eleitoral (PPE) para apurar uma possível falta de pagamento de cabos eleitorais por parte da campanha de Garcia, referente ao pleito deste ano.

De acordo com o procurador regional eleitoral, Douglas Guilherme Fernandes, tal fato pode sugerir irregularidades na prestação de contas feita à Justiça Eleitoral pelo deputado.

“Por derradeiro, considerando a necessidade de colher subsídios necessários à atuação do Ministério Público Eleitoral perante a Justiça Eleitoral, conforme determina o artigo 2º da Resolução nº 499/2014 da Procuradoria-Geral da República”, diz trecho.

Garcia que foi ex-secretário de governo do prefeito Mauro Mendes (PSB), foi eleito com 104.976 votos. Na prestação de contas divulgada pelo site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Fábio declara que recebeu a quantia de R$ 3.065.112,22 em doações e teve de custos o valor de R$ 3.838.367,99. Os gastos foram de despesas com pessoal e encargos financeiros.

Leia também:  Serys fica inelegível por período de oito anos

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.